Publicidade

Resumo do Pan 2023: Rebeca e Nory vencem nas finais da ginástica; ‘Cachorrão’ ganha quarto ouro

Brasileiros ainda levaram medalhas em modalidades como natação, badminton e remo nesta quarta-feira

PUBLICIDADE

Foto do author Róbson Martins
Por Róbson Martins
Atualização:

As ginastas brasileiras brilharam na final por aparelhos dos Jogos Pan-Americanos de Santiago 2023. Nesta quarta-feira, Rebeca Andrade e Flávia Saraiva conquistaram o ouro e a prata na trave, respectivamente, e subiram juntas ao pódio. Arthur Nory e Bernardo Miranda repetiram a dobradinha na barra fixa.

Na natação, Guilherme Costa se consolidou como o grande nome do Brasil no Pan ao ganhar a sua quarta prova na competição. Além das duas modalidades, o País ainda levou medalhas no remo, badminton, entre outras.

Veja os destaques brasileiros do dia:

Ginastas Rebeca Andrade e Flávia Saraiva brilham nas finais por aparelhos do Pan 2023. Foto: Agustin Marcarian/Reuters

Ginástica artística

PUBLICIDADE

Na final da trave da ginástica artística feminina, a dupla brasileira brilhou ao conquistar o ouro e a prata. Rebeca Andrade, que já havia vencido a final dos saltos, repetiu seu desempenho excepcional com uma pontuação de 14,166 e conquistou a medalha de ouro. Por sua vez, Flávia Saraiva (14,033) também mostrou repertório e foi a dona da prata.

Flavinha repetiu a cor da medalha no solo, enquanto Júlia Soares ficou na quarta posição.

Entre os homens, Arthur Nory começou batendo na trave na final do salto e ficou com a prata ao obter a pontuação de 14,466. Ele empatou com o dominicano Audrys Min Reyes, que levou o ouro devido aos critérios de desempate. Yuri Guimarães terminou em quarto lugar, ficando fora do pódio.

Nory voltou a competir na final da barra fixa. Dessa vez, fez uma apresentação que valeu 14,333 e a medalha de ouro na prova. O seu parceiro de equipe Bernardo Miranda (14.133) foi o segundo melhor da decisão e recebeu a prata.

Natação

Em mais uma prova espetacular, Guilherme Costa venceu os 1.500m livre e encerrou a sua participação em Santiago com quatro medalhas de ouro e 100% de aproveitamento. Com um tempo de 15min09s29, “Cachorrão” ganhou o duelo com o americano John William Gallant (15min12s94), que ficou com a prata. O venezuelano Alfonso Mestre foi o terceiro.

Publicidade

Guilherme Costa ganha quarto ouro em Santiago 2023. Foto: François-Xavier Marit/AFP


Na prova feminina, Viviane Jungblut marcou 6min19s89 e garantiu o seu segundo bronze no Pan. Rachel Stege, dos Estados Unidos, foi a ganhadora, com direito a recorde pan-americano. A segunda melhor brasileira foi Bia Dizotti, que acabou em quarto lugar.

Leonardo Coelho concluiu os 200m medley masculino com 2min00s58 e repetiu o resultado de Lima 2019, quando terminou em terceiro. Já Vinícius Lanza chegou em sexto. No feminino, Gabrielle Roncatto foi a sétima colocada.

Por fim, a equipe brasileira masculina (3min35s12) não alcançou os americanos, mas conquistou a prata no revezamento 4x100m medley. As mulheres ficaram com a quinta colocação (4m04s95).

Remo

Lucas Verthein quebrou um jejum de 36 anos ao conquistar o ouro no single skiff masculino, confirmando seu favoritismo. Com um tempo de 6min58s76, o brasileiro dominou a prova e não se abalou com a pressão final, cruzando a linha de chegada em primeiro lugar, com mais de um segundo de vantagem sobre o americano James Phihal (6min59s93). O bronze ficou com o mexicano Juan Flores.

Lucas Verthein é campeao pan-americano no remo single skiff. Foto: William Lucas/COB

O último ouro brasileiro no remo em Pans havia sido em 1987, quando Ronaldo e Ricardo de Carvalho venceram no double skiff masculino, em Indianápolis. Antes disso, os irmãos também haviam conquistado o ouro em 1983, em Caracas.

Na prova do feminino, Beatriz Cunha (7min46s73) ficou com a prata no single skiff, atrás da mexicana Kenia Lechuga, que cruzou com 7min44s63. Nicole Martinez González, do Paraguai, completou o pódio.

Badminton

Na final das duplas masculinas, Davi Silva e Fabrício Farias começaram bem e venceram o primeiro jogo por 21 a 19 contra os canadenses Nyl Yakura e Adam Dong Xing. No entanto, os adversários se recuperaram e viraram a partida, levando os dois jogos seguintes. Assim, os brasileiros terminaram com a prata.

Publicidade

Dupla brasileira leva prata no badminton após derrota para canadenses. Foto: Ivan Alvarado/Reuters

Hipismo adestramento

No hipismo adestramento individual, João Victor Oliva e seu cavalo Feel Good Vo conquistaram a medalha de prata, fazendo o melhor resultado do Brasil na história dos Jogos Pan-Americanos. Filho da lenda do basquete Hortência, o cavaleiro obteve uma média de 86,160 na grande final. O também brasileiro Renderson Oliveira acabou em quinto lugar, enquanto o ouro foi para o equatoriano Julio Loor.

Esta é a terceira medalha de João Victor em Jogos Pan Americanos, a primeira da prova individual estilo livre. Ele havia conquistado dois bronzes, em 2015 e 2019 no adestramento por equipes.

Boxe

O boxe brasileiro foi para o Pan de Santiago com 13 atletas e já garantiu, nesta quarta-feira, 12 medalhas. Vice-campeã olímpica em Tóquio 2020, Beatriz Ferreira (60kg) derrotou Pamela Valdívia, da Costa Rica, por nocaute técnico no primeiro round das quartas de final. Assim, avançou de fase e já tem pelo menos a medalha de bronze na competição.

No boxe, não há disputa de terceiro lugar e os pugilistas derrotados nas semifinais ficam com a medalha de bronze. A disputa pelas vagas nas finais começam nesta quinta-feira.

Beatriz Ferreira (60Kg) avança às semis e garante medalha no boxe. Foto: Agustin Marcarian/Reuters

Jucielen Romeu garantiu um lugar no pódio nos 57Kg feminino, ao eliminar a peruana Nelly Bamberger, em decisão unânime dos cinco jurados. No masculino, na categoria dos 63,5 quilos, Yuri Falcão, irmão dos medalhistas olímpicos Esquiva e Yamaguchi Falcão, derrotou o salvadorenho George Contreras também em decisão unânime.

Beisebol

A seleção brasileira de beisebol fez mais uma vítima no Pan. Nesta quarta-feira, derrotou o Panamá por 5 a 3 e se aproximou ainda mais na busca pela medalha inédita.

O Brasil vai decidir sua vaga na final contra o México, em duelo marcado para sexta-feira, às 15h (horário de Brasília. A equipe brasileiro disputa o Super Ronda, quadrangular que colocará o primeiro colocado na grande final, e ocupa a liderança com duas vitórias.

Publicidade

Vôlei feminino

A seleção brasileira feminina de vôlei garantiu, nesta quarta-feira, vaga na final dos Jogos Pan-Americanos de Santiago, ao vencer as mexicanas, por 3 sets a 2, com parciais de 25/17, 22/25, 27/25, 22/25 e 15/13, em 2h14 de partida.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.