Alemanha se prepara para racionamento de gás enquanto Rússia ameaça cortar fornecimento

Ministro da Economia alemão anunciou ativamento de plano de emergência após Moscou insistir no pagamento em rublos pelo gás russo

PUBLICIDADE

Por Redação
Atualização:
3 min de leitura

BERLIM - A Alemanha ativou nesta quarta-feira, 30, o primeiro nível de seu plano de emergência para garantir o abastecimento de gás diante das ameaças de suspensão do fornecimento russo, anunciou o ministro da Economia, em razão do não pagamento do gás em rublos, como exige Moscou.

“Foi aberto um setor de crise no ministério” para supervisionar a situação, após o G-7 recusar a exigência russa de pagar em rublos, explicou Robert Habeck em uma coletiva. O plano de emergência possui três níveis de alerta e, no momento, “a segurança de fornecimento” de gás está garantida na Alemanha, explicou.

O plano foi ativado em seu primeiro passo, o que pode ser escalonado e levar ao racionamento do gás no país. O movimento retrata o risco que países europeus enfrentam ao dependerem da Rússia para o fornecimento de gás e petróleo em meio à guerra na Ucrânia.

Rússia pede que fornecimento de seu gás seja pago em rublos, mas G-7 rejeita exigência.  Foto: Dado Ruvic/Reuters

As reservas se encontram, atualmente, em 25% de suas capacidades, acrescentou o ministro, que alerta que se as entregas forem suspensas vai haver “graves consequências”, mas que o país pode “encará-las”. “Atualmente, o gás e o petróleo chegam de acordo com os pedidos e a medida tomada hoje (quarta) é preventiva”, disse Habeck.

Somente no terceiro nível de alerta, o mais elevado, será necessária a intervenção do Estado “no mercado para “regular” a distribuição.

Continua após a publicidade

Pagamento em rublos

O Kremlin insistiu, na terça-feira 29, no pagamento em rublos do gás russo vendido à Europa, rejeitando as críticas do G-7, que considera a exigência inaceitável. Muitas empresas europeias de energia alegam que, para mudar a forma de pagamento, seria necessário renegociar os contratos de longo prazo.

A exigência russa é vista como uma forma de o Kremlin se defender das sanções econômicas que estão sendo impostas pelo Ocidente em razão da invasão à Ucrânia.

Nesta quinta-feira, o governo russo, o Banco Central e a gigante do setor de energia russa Gazprom devem apresentar ao presidente Vladimir Putin um relatório sobre a implementação de um sistema de pagamento em rublos. / AFP e NYT

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.