Dissidentes iniciam diálogo pela democracia na Síria

Mais de 100 opositores pediram uma 'transição pacífica para a democracia'

PUBLICIDADE

Por AE
Atualização:

DAMASCO

PUBLICIDADE

 - Mais de 100 dissidentes ouviram e fizeram pedidos nesta segunda-feira, 27, por uma "transição pacífica para a democracia" em uma reunião pública em Damasco, na Síria. Segundo eles, esse foi um evento sem precedentes, nas cinco décadas de comando do Partido Baath no país.

 

Veja também:especialLinha do Tempo: 40 anos da ditadura na LíbiaespecialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

 

Falando no encontro, realizado em um hotel da capital, o ativista Munzer Khaddam disse que há duas opções para o país. Uma delas é uma transição pacífica para a democracia. "A outra é uma via que leva para o desconhecido e que destruirá todos", afirmou.

 

"Nós estamos com o povo e nós, como eles, escolhemos esse primeiro caminho. Aqueles que se recusam irão para o inferno." Todas as figuras da oposição reunidas em Damasco não eram filiadas a partidos políticos.O país vive uma crise desde meados de março, com protestos contra o governo e por maiores liberdades. O grupo Observatório Sírio para os Direitos Humanos, sediado em Londres, afirmou que 1.342 civis foram mortos e que 342 membros das forças de segurança também morreram na violenta repressão às manifestações. As informações são da Dow Jones.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.