Israel confirma a morte de 15 soldados durante ofensiva terrestre na Faixa de Gaza

Os soldados foram as primeiras vítimas confirmadas publicamente pelo Exército de Israel desde que o país passou a fazer incursões terrestres em Gaza na sexta-feira, 27

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação

As Forças de Defesa de Israel confirmaram a morte de 15 soldados israelenses em batalhas no norte da Faixa de Gaza desde terça-feira, 31. Os combates continuam em meio a ofensiva terrestre no enclave palestino, com ataques a alvos do grupo terrorista Hamas.

PUBLICIDADE

Os soldados foram as primeiras vítimas confirmadas publicamente pelo Exército de Israel desde que o país passou a fazer incursões terrestres em Gaza na sexta-feira, 27. Neste momento, os combates estão se intensificando e forças israelenses afirmam que estão próximas da Cidade de Gaza.

O braço militar do grupo terrorista Hamas afirmou no Telegram que os seus combatentes fizeram uma emboscada contra soldados israelenses no norte de Gaza.

Tanques israelenses se posicionam perto da fronteira com a Faixa de Gaza, no sul de Israel  Foto: Ariel Schalit / AP

O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, prometeu prosseguir com a ofensiva terrestre no enclave palestino, apesar das mortes de soldados israelenses em Gaza. “Estamos em uma guerra difícil e será uma longa guerra. Temos conquistas importantes, mas também perdas dolorosas”, disse Netanyahu num comunicado divulgado pelo seu gabinete nesta quarta-feira, 1.

Operações em Gaza

Os militares israelenses afirmaram que atingiram mais de 11 mil alvos na Faixa de Gaza desde 7 de outubro, quando lançaram uma intensa campanha de ataques aéreos em resposta aos ataques terroristas do Hamas, que deixaram mais de 1.400 mortos no sul de Israel.

Na terça-feira, as forças israelenses assumiram a autoria por um ataque aéreo em um campo de refugiado em Jabaliya, no norte da Faixa de Gaza. As Forças de Defesa de Israel afirmaram que a área era um reduto militar do grupo terrorista Hamas.

Imagens das explosões mostraram palestinos caminhando entre os escombros, aparentemente em busca de sobreviventes.

Publicidade

Palestinos procuram sobreviventes depois do ataque aéreo no campo de refugiados de Jabaliya  Foto: Abed Khaled / AP

O ataque matou um comandante do Hamas que participou ativamente do planejamento do ataque de 7 de outubro a Israel, segundo os militares israelenses. O grupo terrorista Hamas negou que qualquer um dos seus comandantes estivesse na área.

Israel afirma que tem como objetivo a eliminação do grupo terrorista Hamas, embora não esteja claro o que aconteceria na Faixa de Gaza se o objetivo for alcançado.

“Esta é uma campanha difícil, requer combate em Gaza”, disse Tzachi Hanegbi, conselheiro de segurança nacional de Israel, em uma coletiva de imprensa em Tel-Aviv na terça-feira, antes de a notícia da morte dos soldados ser anunciada. “Não há combate sem um preço doloroso.”/NY Times

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.