Mais de 1,1 mil civis morreram na guerra da Ucrânia, diz ONU

Mortes de civis confirmadas pela ONU chegam a 1.119, dos quais 99 vítimas eram crianças; número real provavelmente é maior

PUBLICIDADE

Por Redação
Atualização:
2 min de leitura

Mais de 1,1 mil civis foram mortos desde que a guerra na Ucrânia começou há um mês, disse o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUR) em um relatório neste domingo, 27. Ao todo, foram confirmadas 1.119 mortes, das quais 99 vítimas eram crianças. Outros 1.790 civis, incluindo 126 crianças, ficaram feridos, disse a ONU.

A ONU ressalta que os números reais de mortos e feridos provavelmente são maiores, mas que os combates em andamento atrasaram o recebimento de algumas informações e outros relatórios ainda estão em elaboração. O número das vítimas não inclui, por exemplo, a cidade de Mariupol, sitiada pelos russos desde o início da guerra.

Refugiados ucranianos e população da Moldávia protestam contra a guerra na Ucrânia, diante da Embaixada da Rússia. Protesto aconteceu neste domingo, 27, em Chisinau, Moldávia Foto: Dumitru Doru / EFE

O relatório do gabinete do procurador-geral da Ucrânia aponta, por exemplo, para 139 crianças mortas e pelo menos 205 feridas - números diferentes dos divulgados neste domingo pela ONU.

A maioria das mortes e ferimentos foi causada pelo uso de armas explosivas que atingem uma ampla área, como bombardeios de artilharia pesada, mísseis e ataques aéreos, segundo o relatório.

Em um discurso no sábado, o presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, disse que as forças russas estavam matando deliberadamente civis e atacando áreas residenciais, abrigos, instalações educacionais e igrejas. “As tropas russas recebem exatamente essas ordens: destruir tudo”, disse Zelenski, em uma tradução de seus comentários compartilhados por seu escritório. “Ninguém vai perdoá-los. Haverá responsabilidade.”

Continua após a publicidade

A Rússia negou que seus militares tenham alvejado civis propositalmente e atribui os ataques à própria Ucrânia.

Segundo o Parlamento ucraniano, estima-se que US$ 63 bilhões em infraestrutura ucraniana foram danificados ou destruídos até o dia 24 de março. As perdas incluem mais de 4,4 mil edifícios residenciais, 138 unidades de saúde, oito aeroportos civis e 378 instituições de ensino. O custo foi calculado pela Escola de Economia de Kiev. /NEW YORK TIMES