PUBLICIDADE

Guerra em Israel: 260 corpos são encontrados em local de rave brasileira após ataque do Hamas

Número foi divulgado pela organização de busca e resgate Zaka; no evento, criado pelo pai de Alok, um brasileiro ficou ferido e três estão desaparecidos

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Foram encontrados 260 corpos no local de um festival de música no sul de Israel, que foi atacado pelo grupo Hamas neste sábado, 7. O número vem da organização de busca e resgate Zaka, citada pelos meios de comunicação israelenses.

PUBLICIDADE

A rave era a edição israelense da festa de música eletrônica Universo Paralello, evento criado no Brasil pelo DJ Juarez Petrillo, pai de Alok. Petrillo e fãs brasileiros estavam na rave em Sderot, cidade israelense que fica próxima da fronteira com a Faixa de Gaza, durante o ataque.

Também havia brasileiros entre os fãs presentes no festival durante o início dos ataques, que aconteceu perto da fronteira sul de Israel. Segundo informações do Itamaraty, um brasileiro ficou ferido e foi hospitalizado, mas já foi liberado e passa bem. Outros três brasileiros estão desaparecidos.

Segundo Alok, Juarez apenas licenciou os direitos da marca Universo Paralello a produtores israelenses, e não foi organizador da festa no local.

“O meu pai foi contratado a se apresentar em um evento que licenciou os direitos de uso do nome do festival, como já aconteceu em diversos outros países. O produtor israelense licenciou o uso da marca e produziu o evento por conta própria, sendo o meu pai uma das atrações”, postou o DJ nas redes sociais.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.