Ofensiva da Rússia no Nordeste da Ucrânia avança sobre fronteira

Moscou capturou ao menos nove vilas e assentamentos perto de Kharkiv em investida que analistas afirmam ter a intenção de espalhar as tropas ucranianas e distraí-las

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

KIEV- Soldados ucranianos estão envolvidos em combates intensos nesta segunda-feira,13, no nordeste da Ucrânia. Eles tentam repelir o avanço das forças russas que abriram uma nova frente de combate na região de fronteira, perto da cidade de Kharkiv, aumentando a pressão sobre a Ucrânia.

PUBLICIDADE

Ataques aéreos russos na segunda-feira atingiram Vovchansk, uma pequena cidade a cerca de oito quilômetros da fronteira, de acordo com Denys Yaroslavsky, um oficial ucraniano que está no local da batalha.

“Eles estão lançando de cinco a sete bombas a cada três minutos”, disse Yaroslavsky em uma entrevista por telefone na segunda-feira, referindo-se ao bombardeio russo.

Vovchansk tinha uma população de cerca de 17 mil pessoas antes da guerra, e autoridades locais têm se esforçado para retirar os cerca de 200 a 300 moradores restantes. Hryhoriy Shcherban, um voluntário que estava na cidade na manhã de segunda-feira, disse que recebeu mais de 200 pedidos de retirada durante a noite.

Pessoas passam em frente à casa atingida por ataque russo no caminho para deixar Vovchansk.  Foto: Evgeniy Maloletka/Associated Press

“Estamos dirigindo pelo local, tentando encontrar os endereços (dos pedidos). A Rússia está bombardeando a estrada”, disse ele. “Você pode ouvir explosões o tempo todo.”

O avanço em Vovchansk seguiu as semanas de alertas de autoridades ucranianas, afirmando que a Rússia estava agrupando tropas na fronteira com o objetivo de lançar uma nova ofensiva no nordeste. Esses alertas se tornaram realidade na madrugada de sexta-feira, 10, quando tropas russas cruzaram a fronteira em duas direções principais - uma ao norte de Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia, após a capital Kyiv, e a outra cerca de 20 quilômetros a leste, ao redor de Vovchansk.

Ganhos rápidos

O exército ucraniano reconheceu no início de segunda-feira que as forças russas haviam capturado uma série de assentamentos em uma ofensiva rápida. “O inimigo está atualmente alcançando sucesso tático”, disse o Estado-Maior da Ucrânia em um comunicado.

Publicidade

As forças russas conseguiram até agora capturar pelo menos nove vilas e assentamentos, avançando cerca de oito quilômetros em território ucraniano e capturando cerca de 130 quilômetros quadrados de terra, de acordo com o Institute for the Study of War, um think tank baseado em Washington.

Especialistas militares e autoridades ucranianas dizem que as tropas russas até agora avançaram principalmente por territórios levemente defendidos e em grande parte despovoados, justificando o progresso relativamente rápido. A fronteira no nordeste da Ucrânia tem sido sujeita a bombardeios russos constantes durante a guerra, segundo os oficiais, o que tornou difícil estabelecer posições fortificadas e levou muitos civis a fugirem.

Ainda assim, as forças russas estão se aproximando de áreas mais povoadas, e a luta pode aumentar em intensidade. As autoridades locais já retiraram cerca de 6.000 pessoas desde sexta-feira, de acordo com Oleh Syniehubov, chefe da administração militar da região de Kharkiv.

Moradores deixam região de Kharkiv de ônibus.  Foto: Roman Pilipey/AFP

Qual é o objetivo?

As forças ucranianas já estavam espalhadas, tentando defender um front de mais de 965 km correndo do leste de Kharkiv até a cidade de Kherson, no Mar Negro. Com a nova ofensiva, o Exército Russo está tentando estender ainda mais as linhas ucranianas e eventualmente rompê-las, dizem especialistas militares.

PUBLICIDADE

Franz-Stefan Gady, um analista militar sediado em Viena, disse que a Rússia está tentando fazer as tropas ucranianas da região sudeste de Donbass serem divergidas para facilitar a captura de território no local.

O principal objetivo da Rússia, segundo Gady, é afastar forças de Chasiv Yar, uma posição fortificada ucraniana que as forças russas vêm atacando há semanas. A cidade está em um terreno alto estratégico e é chave para defender a parte do Donbass controlada pela Ucrânia.

A Ucrânia já enviou reforços para o nordeste do país, incluindo da 92ª Brigada de Assalto, de acordo com Pasi Paroinen, um analista do Black Bird Group, uma organização com sede na Finlândia que analisa imagens de satélite e conteúdo de redes sociais do campo de batalha.

Publicidade

Essa unidade recentemente esteve lutando em Chasiv Yar, segundo Paroinen, que disse ser possível que a Ucrânia tenha retirado partes da brigada que estavam estacionadas em Kharkiv, seu quartel-general.

Mykhailo Samus, vice-diretor do Centro Ucraniano para Estudos do Exército, Conversão e Desarmamento, uma organização de pesquisa militar em Kyiv, disse que a situação “até agora estabilizou”, com as forças ucranianas conseguindo desacelerar o avanço russo.

Apesar do ataque, ambos Samus e Paroinen disseram que a Rússia ainda não engajou um grande número de tropas na ofensiva — provavelmente movimentando alguns milhares de soldados — e que muito dependerá do próximo movimento de Moscou.

Brigada ucraniana conduz tanque de fabricação sueca pero da linha de frente em Donetsk em meio a ataques russos.  Foto: Valentyn Ogirenko/Reuters

O que está acontecendo em outros locais?

As forças russas também fizeram pequenos ganhos no sudeste da Ucrânia nos últimos dias, entrando na cidade de Krasnohorivka na semana passada, segundo autoridades ucranianas.

Eles também expandiram ligeiramente seu controle sobre vilas ao redor da cidade de Avdiivka, que foi capturada pela Rússia em fevereiro. Especialistas dizem que as forças russas podem explorar seus ganhos nessa área para se moverem mais ao norte em direção a Chasiv Yar, que fica a cerca de 40 km de distância, em um movimento de pinça.

As autoridades russas disseram na segunda-feira que um bombardeio ucraniano matou 19 civis na região de Belgorod, na Rússia, do outro lado da fronteira de Kharkiv.

Em um incidente com número elevado de vítimas, o Ministério da Defesa russo disse que fragmentos de um míssil ucraniano interceptado atingiram um prédio de apartamentos na região no domingo. Vyacheslav Gladkov, o governador de Belgorod, disse que 15 corpos foram encontrados nos escombros. As alegações não puderam ser verificadas independentemente; autoridades ucranianas negaram ter disparado contra áreas residenciais.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.