PUBLICIDADE

Polícia da Índia liberta suposta ‘espiã chinesa’ após oito meses de ‘detenção’: uma pomba

Pomba foi capturada em maio do ano passado quando a polícia suspeitou que anéis em suas patas poderiam indicar envolvimento em espionagem

Foto do author Redação
Por Redação

A polícia indiana libertou uma suposta “pomba espiã chinesa na terça-feira, 30, após oito meses de “detenção”, segundo a agência de notícias Press Trust of India.

Em maio, a pomba foi capturada perto de um porto em Mumbai com dois anéis amarrados em suas patas, contendo palavras que pareciam chinesas. A polícia suspeitou de envolvimento com espionagem e a enviou para o Hospital Veterinário Bai Sakarbai Dinshaw Petit, em Mumbai. No final, descobriu-se que a pomba era uma ave de corrida de águas abertas de Taiwan que escapou e chegou à Índia.

Uma pomba que passou meses "detida" por suspeita de ser uma espiã chinesa é libertada em um hospital veterinário em Mumbai, Índia, em 30 de janeiro de 2024 Foto: Anshuman Poyrekar/Hindustan Times via AP

PUBLICIDADE

Com a permissão da polícia, a ave foi transferida para a Sociedade de Bombay para a Prevenção da Crueldade contra os Animais, cujos médicos a libertaram na terça-feira. Não foi possível contatar a polícia de Mumbai para comentários, segundo a AP.

Esta não é a primeira vez que a polícia indiana suspeita de uma ave. Em 2020, a polícia na Caxemira controlada pela Índia libertou uma pomba que pertencia a um pescador do Paquistão, após uma investigação revelar que a ave, que cruzou a fronteira fortemente militarizada, não era uma espiã.

Ambas as nações com armas nucleares disputam o território da Caxemira. Em 2016, outra pomba foi detida após ser encontrada com uma nota ameaçando o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi./ApEsp

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.