PUBLICIDADE

Pressão sobre Obama crescerá

Por Los Angeles Times
Atualização:

Desde sexta-feira, a frustração em Washington com a reeleição do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, é evidente e os efeitos práticos do resultado já devem começar a ser sentidos nos próximos dias. Após repetidos sinais de abertura a Teerã, o governo Barack Obama terá de aguentar agora a pressão de grupos conservadores alinhados a Israel que defendem uma posição mais dura e a adoção de uma data-limite para a diplomacia. Alguns congressistas americanos e lobistas pró-Israel afirmam que um Irã governado por Ahmadinejad não responderá aos sinais de Obama. "Veremos mais pressão por sanções", afirma Trita Parsi, do centro National Iranian American Council. A polarização política no Irã também prejudica os esforços de Obama, afirma Bruce Riedel, da Brookings Institution. "Um Irã desestabilizado não estará pronto se engajar em um diálogo com o governo Obama", afirma o especialista.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.