PUBLICIDADE

Rússia e Ucrânia são atingidas por tempestade com nevascas e ondas de até 9 metros; veja imagens

Instabilidades climáticas afetaram operações militares russas, forçando o país a devolver seus navios de guerra e porta-mísseis às suas bases

Foto do author Redação
Por Redação

Operações militares da guerra na Ucrânia foram impactadas por instabilidades climáticas que afetam a região do Mar Negro desde o fim de semana. Mais de 2 milhões de pessoas ficaram sem eletricidade na Crimeia, na Rússia e na Ucrânia e cerca de 20 morreram em consequências das tempestades, que já são consideradas as piores em mais de 100 anos na Crimeia e no sul da Rússia.

PUBLICIDADE

A tempestade intensificou-se no domingo, 26, sobre o Mar Negro, gerando rajadas de vento próximas de 120 km/h, ondas de cerca de 9 metros e quantidades paralisantes de neve. Relatos nas redes sociais mostraram ondas ferozes e inundações em Sochi e Balaklava, bem como o desabamento de uma casa na Crimeia.

Pelo menos 14 pessoas morreram na Rússia e autoridades ucranianas disseram os fenômenos climáticos derrubaram árvores, linhas de energia e inundaram áreas costeiras.

O presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, disse que pelo menos cinco pessoas morreram na região de Odessa, no sul do país, e que engenheiros estavam trabalhando para restaurar a eletricidade nas regiões em que foram cortadas. Da mesma forma, autoridades locais relataram a morte de duas pessoas na Crimeia.

Trabalhadores ucranianos tentam empurrar um carro preso na neve na rodovia da região de Odessa, após a forte nevasca. Foto: Serviço de emergência ucraniano via AP Photo

Na manhã desta terça-feira, 28, quase 100 mil pessoas ainda estavam sem energia na Península da Crimeia e algumas ainda não tinham abastecimento de água, disse o governador empossado pela Rússia, anunciando que várias regiões ainda estavam em estado de emergência. A Crimeia, que foi anexada da Ucrânia pela Rússia em 2014, é um importante centro militar e logístico para a Rússia enquanto prossegue a sua guerra na Ucrânia.

Operações militares prejudicadas

Os danos causados pela tempestade afetaram “o ritmo das operações militares ao longo da linha da frente na Ucrânia”, mas não interromperam totalmente a atividade militar, afirmou o Instituto para o Estudo da Guerra.

O grupo de pesquisa com sede em Washington informou que a tempestade forçou a Rússia a devolver todos os seus navios de guerra e porta-mísseis às suas bases, e sugeriu que a ameaça de minas à deriva no Mar Negro aumentará porque a tempestade dispersou os campos minados.

Publicidade

Ondas batem à beira-mar na cidade russa de Sochi, no Mar Negro, durante tempestade na segunda-feira, 27. Foto: Mikhail Mordasov/AFP

Houve também relatos de que a tempestade danificou ferrovias em áreas costeiras, o que poderia ter um impacto nas capacidades logísticas dos militares russos na Crimeia ocupada e no sul da Ucrânia, disse o ISW.

Ventos de 108 km/h foram previstos para terça-feira na Crimeia, no sul da Rússia e em partes do noroeste da Rússia, informou a agência de notícias estatal Tass.

Na região de Vologda, cerca de 500 quilômetros a nordeste de Moscou, mais de 10 dias de neve – cerca de 25 centímetros – caíram em um dia, disse Tass, citando o prefeito de uma pequena cidade que disse a limpeza das estradas demorou o dobro do tempo normal.

Praça Vermelha em Moscou, na Rússia, ficou completamente coberta de neve após nevasca que deverá persistir até o final de a semana, como relatam os meteorologistas.  Foto: EFE/EPA/MAXIM SHIPENKOV

A tempestade também fez com que a região de Moscou ficasse coberta de neve na segunda-feira, acumulando montes de até 25 centímetros e profundidade, três vezes mais pesados que o normal, disse a agência de notícias Tass./Associated Press e EFE.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.