Secretário de Estado dos EUA, Blinken faz visita surpresa a Kiev para anunciar ajuda de US$ 1 bilhão

Diplomata deve abordar as necessidades da Ucrânia, em particular de assistência militar, durante as reuniões com o presidente ucraniano, Volodmir Zelenski, o primeiro-ministro Denis Shmihal e o ministro da Relações Exteriores Dmitro Kuleba

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação

KIEV - O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, desembarcou em Kiev para uma visita surpresa nesta quarta-feira, 6,, durante a qual deve anunciar uma ajuda adicional de um bilhão de dólares (4,96 bilhões de reais) para a Ucrânia.

O Departamento de Estado anunciou a chegada de Blinken e informou que ele foi recebido em Kiev pela embaixadora americana Bridget Brink.

Um funcionário da equipe de Blinken afirmou durante o voo que o chefe da diplomacia espera “anunciar mais um bilhão de dólares em novo financiamento americano para a Ucrânia durante a visita”.

O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmitro Kuleba, posa para uma foto com o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, antes de uma reunião bilateral em Kiev, Ucrânia  Foto: Brendan Smialowski /Reuters

Esta é a quarta visita de Blinken à Ucrânia desde o início da invasão russa, em fevereiro de 2022.

Reunião

PUBLICIDADE

O secretário de Estado deve abordar as necessidades da Ucrânia, em particular de assistência militar, durante as reuniões com o presidente ucraniano, Volodmir Zelenski, o primeiro-ministro Denis Shmihal e o ministro da Relações Exteriores Dmitro Kuleba.

Washington pretende manter os “esforços” para que os ucranianos “tenham aquilo que precisam para esta fase da batalha”, afirmou a fonte do Departamento de Estado que pediu anonimato.

Em junho, Kiev iniciou uma contraofensiva no sul e leste do país, onde as tropas russas ocupam quase 20% do território ucraniano.

Publicidade

Um soldado da 3ª Brigada do exército da Ucrânia observa as trincheiras de Bakhmut em meio a fortes batalhas contra os russos  Foto: AP / AP

“Trata-se de material não apenas para atacar, mas também para realmente entrar nas ferozes linhas de defesa estabelecidas pelos russos”, disse a fonte.“A defesa aérea continua sendo uma prioridade”, acrescentou.

“As forças ucranianas conseguiram avanços impressionantes no sul em particular, mas também no leste nos últimos dias e semanas. Mas eu penso que o mais importante é recebermos uma avaliação verdadeira dos próprios ucranianos”, resumiu a fonte do Departamento de Estado.

Troca de ministros

No domingo, 3, o presidente ucraniano afirmou que irá substituir o seu ministro da Defesa, na maior mudança na liderança do esforço de guerra da Ucrânia desde a invasão em grande escala da Rússia em fevereiro do ano passado.

O destino do ministro da Defesa, Oleksii Reznikov, tem sido objeto de especulações crescentes na Ucrânia, à medida que as práticas financeiras no ministério vieram à tona e o governo iniciou investigações oficiais sobre a corrupção.

PUBLICIDADE

Zelenski disse num comunicado que Reznikov, que não está diretamente implicado na ampliação das investigações sobre o mau uso de contratos militares, será substituído por Rustem Umerov, presidente do Fundo de Propriedade do Estado da Ucrânia. Zelenski disse esperar que o Parlamento da Ucrânia aprove o seu pedido.

“Oleksii Reznikov passou por mais de 550 dias de guerra em grande escala”, disse Zelenski num comunicado anunciando a sua decisão no domingo à noite. “Acredito que o ministério precisa de novas abordagens e outros formatos de interação tanto com os militares como com a sociedade em geral.”

o Ministério da Defesa foi acusado por uma série de alegações de má gestão da contratação militar e de corrupção neste ano, enquanto o seu orçamento aumentava durante a guerra. Cerca de US$ 986 milhões (R$ 4,9 bilhões) em armamento contratado pelo ministério não foram entregues nas datas especificadas nos contratos, segundo dados do governo. Algumas entregas estão com meses de atraso./AFP

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.