Facebook vai deixar seu principal prédio de escritório no Brasil para reduzir custos

Meta vai deixar o prédio que abriga também escritórios de Apple, Credit Suisse, Goldman Sachs e Bloomberg

PUBLICIDADE

Foto do author Bruno Romani
Foto do author Circe Bonatelli
Por Bruno Romani e Circe Bonatelli (Broadcast)
Atualização:

Seguindo as demissões, que afetaram 11 mil pessoas em todo o mundo, a Meta, companhia dona do Facebook, Instagram e WhatsApp, vai deixar o seu principal prédio de escritório no Brasil como medida para conter custos. A decisão da mudança foi tomada antes dos cortes desta quarta, 9. Mark Zuckerberg, porém, reforçou no anúncio de hoje que o fechamento e a consolidação de escritórios e espaços de trabalho colaborativos em todo o mundo também servirão como medida de contenção no momento da companhia.

PUBLICIDADE

Segundo apurou o Estadão, o braço brasileiro da operação vai deixar a Infinity Tower, prédio icônico no bairro do Itaim, em São Paulo, que abriga também os escritórios de Apple, Credit Suisse, Goldman Sachs e Bloomberg. A Meta estava no local desde setembro de 2012, ano da inauguração do prédio.

Com a mudança, a Meta permanecerá apenas com escritórios no edifício B32, localizado na Avenida Faria Lima, também no bairro do Itaim. O espaço dividia as operações com o Infinity desde janeiro deste ano. Internamente, o anúncio da mudança foi feito no final de outubro.

Infinity Tower era a casa da Meta no Brasil desde 2012  Foto: Paulo Whitaker/Reuters

Já no B32, a companhia decidiu devolver dois de um total de onze andares que ocupa no B32 - aquele edifício com a escultura metálica de uma baleia bem na frente. O local abriga outros inquilinos de peso, como Shopee e PWC. O B32 é foi desenvolvido pelo empresário Rafael Birmann e incorporado pela Faria Lima Prime Properties, que tem como maior acionista a Partage, holding de negócios imobiliários (dona de lajes corporativas e shoppings) da família Baptista. Na região, o aluguel gira em torno de R$ 200 por metro quadrado, praticamente o dobro da média da cidade de São Paulo.

Procurada, a Meta confirmou mudanças na sua estrutura de escritórios no País, mas não deu detalhes.

Diz a nota: “Os últimos anos trouxeram novas possibilidades em torno do papel dos escritórios. Dentro do nosso compromisso com uma experiência de força de trabalho distribuída, reconhecemos que temos novos tipos de perfis de trabalho, incluindo remoto, híbrido e com presença no escritório durante toda a semana. Para apoiar essa evolução, anunciamos em outubro que estamos implementando o compartilhamento de mesas de trabalho, permitindo que as pessoas tenham mais flexibilidade, ao mesmo tempo em que revigoramos nosso ambiente de trabalho. E para manter uma utilização eficiente dos espaços, desde outubro também estamos otimizando a ocupação de nossos escritórios em alguns locais, incluindo São Paulo.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.