PUBLICIDADE

ONG de Bill Gates prepara novo fundo para combater mudanças climáticas

Receio com alterações no clima guia novo olhar da próxima rodada de investimentos do bilionário

Por Paulo Renato Nepomuceno

A ONG de Bill Gates destinada a financiar projetos envolvidos na causa climática, a Breaktrough Energy, anunciou que vai criar um fundo para investir em startups verdes que trabalham para revolucionar o setor da tecnologia limpa, conforme anúncio pela organização na última quarta-feira, 19. O objetivo é catapultar o setor e ampliar as tecnologias para mitigar o aquecimento global.

PUBLICIDADE

A Breakthrough já concentra investimentos em cinco grandes áreas, apoiando empresas que prometem reduzir a poluição climática nos setores elétrico, de transporte, manufaturados, em construção civil e na agricultura. Todos esses esforços são considerados formas de mitigação do clima, onde se desenvolve formas de reforçar as proteções contra os perigos das mudanças climáticas.

O empresário Eric Toone, do conselho de investimentos da Breakthrough, declarou em entrevista à revista MIT Technology Review que está cada vez mais claro que essa adaptação precisará desempenhar um papel importante à medida que as emissões globais continuam aumentando: “Mitigar os efeitos simplesmente não nos levará lá (ao equilíbrio) rápido. Embora nosso foco continue sendo a mitigação, expandiremos nosso escopo para incluir a adaptação (ao problema)”, disse Toone.

Eric Thoone, conselheiro da Breaktrough Energy, ONG de Bill Gates Foto: Reprodução / EarthxTV

A Breaktrough deve se concentrar agora em financiar projetos em diversas áreas, incluindo maneiras de ajudar agricultores e comunidades a lidar com secas cada vez mais comuns e severas. Essa meta inclui tecnologia avançada de dessalinização da água e também sistemas que retiram a umidade do ar nas lavouras. Outra iniciativa pretende ajudar as plantações a permanecerem produtivas à medida que o mundo se torna mais quente, úmido ou seco, através do cultivo em estufas e também na promoção de alterações genéticas de plantas.

Toone disse que a Breakthrough também procura maneiras de fortalecer a infraestrutura dos portos globais, que enfrentam ameaças crescentes do aumento do nível do mar e tempestades cada vez mais fortes. As oportunidades de investimento incluem sistemas de ancoragem dinâmicos, que se equilibram de acordo com as tempestades, até guindastes que podem operar com segurança em condições mais quentes, além de navios mais robustos.

Essas novo enfoque fará parte da nova rodada de investimentos do próximo fundo da Breakthrough. A empresa está em processo de captação para poder ajudar esses empreendimentos. A empresa ainda não anunciou quando a captação será finalizada nem quando o fundo estará disponível. Até o momento, a Breakthrough já levantou dois fundos de aproximadamente US$1 bilhão cada, sendo o último em 2021.

Além deles, a Breaktrough também criou bolsas de estudo e apoiou diversas iniciativas pró-clima. Os fundos da ONG já apoiaram mais de 100 empresas que trabalham em armazenamento de energia de longa duração, alternativas à carne, os chamados edifícios verdes, aço criado com menos uso de energia e outros meios de redução das emissões.

Publicidade

Durante o evento, Gates criticou a atuação dos políticos americanos sobre a demora em aprovação de regulações para atingir a meta de criar uma rede de energia limpa nos EUA até 2035.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.