PUBLICIDADE

Startup NotCo recebe aporte de US$ 70 mi para levar alimentos à base de plantas para empresas

Chilena captou rodada liderada pela Princeville Capital e com participação de Jeff Bezos

Foto do author Bruna Arimathea
Foto do author Elisa Calmon
Por Bruna Arimathea e Elisa Calmon

A NotCo, unicórnio de tecnologia de alimentos à base de plantas, acaba de captar US$ 70 milhões (aproximadamente R$ 367 milhões), em um aporte de rodada Série D. O investimento chega para acelerar a recém criada unidade B2B, permitindo que outras empresas utilizem a inteligência artificial da empresa para inovar no segmento. Os planos da foodtech chilena contam, ainda, com a expansão da operação no Brasil, incluindo um novo escritório no País.

PUBLICIDADE

A rodada generosa, porém, não era parte dos objetivos da NotCo para 2022: foi o contato dos investidores que possibilitou que o aporte pudesse chegar por agora — a foodtech afirmou que ainda tinha dinheiro no caixa e, por isso, não foi atrás de uma rodada de captação. O cheque, porém, vai viabilizar planos que estavam mais distantes no calendário.

“Nas contas deste final de ano, ainda tínhamos mais 18 meses de dinheiro em caixa. Nossos planos são de, nos próximos cinco anos, realmente criar uma estratégia comercial que nos leva à lucratividade mais rapidamente. Conseguimos estender esse caixa agora e podemos tomar melhores decisões”, afirma Matías Muchnick, presidente da NotCo, ao Estadão.

Avaliada em US$ 1,5 bilhão, a startup utiliza tecnologia proprietária de inteligência artificial — chamada Giuseppe — para mapear a estrutura molecular de alimentos com proteína animal para construir receitas à base de plantas e tentar recriar a experiência sensorial, incluindo sabor, textura, funcionalidade e cheiro. O apelo da empresa também vai no sentido de tentar promover o impacto ambiental responsável.

Por meio de sua nova plataforma B2B, a foodtech está disponibilizando sua tecnologia para mais fabricantes de alimentos e bebidas que buscam entrar na área. A intenção é tentar reduzir os cronogramas de pesquisa e desenvolvimento de anos para meses.

Liderada pela Princeville Capital, a rodada anunciada nesta segunda contou com a participação de nomes como Jeff Bezos por meio da Bezos Expeditions, Tiger Global, L Catterton, Kaszek Ventures, Future Positive e The Craftory. O fundador e CEO do Mercado Livre, Marcos Galperin, também integra a lista. Em rodadas anteriores, a empresa já atraiu outros investidores famosos como Roger Federer, Lewis Hamilton e Questlove.

O portfólio da foodtech é composto por produtos como sorvete, hambúrguer, leite e maionese, todos à base de plantas. Os itens são vendidos em 12 países: Chile, Argentina, Brasil, México, Estados Unidos, Canadá, Peru, Paraguai, Equador, Colômbia, Austrália e Bolívia. Na última semana, a empresa lançou no Brasil sua primeira linha de carnes vegetais com quibe, almôndegas e carne moída.

Publicidade

Nossos planos são de, nos próximos cinco anos, realmente criar uma estratégia comercial que nos leva à lucratividade mais rapidamente”

Matías Muchnick, presidente da NotCo

Brasil

Com essa nova rodada, a NotCo segue apostando no Brasil, onde já investiu R$ 150 milhões. Para o próximo ano, o capital será empregado na abertura de um novo escritório, maior e com uma cozinha experimental para testes da equipe de pesquisa e desenvolvimento e parcerias.

A ideia é desenvolver novas categorias de produtos e dar continuidade à expansão no País. Em 2022, a empresa ampliou sua presença para os Estados de Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Distrito Federal. O investimento no Brasil também passa pela construção de um novo escritório da empresa no País.

“Um dos objetivos é fazer com que o Brasil seja a maior operação da NotCo. É um dos mercados em que a empresa cresceu mais rapidamente”, explica Muchnick. “Estamos estendendo a nossa operação para mais regiões além de Rio de Janeiro e São Paulo, onde já temos força”.

Dentro da estratégia global, a operação no Brasil também vem trabalhando para aumentar a oferta de produtos plant-based em restaurantes e lanchonetes, que hoje incluem marcas como Bullguer e Casa do Pão de Queijo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.