Agrotóxico 'chumbinho' é banido

O agrotóxico aldicarbe, conhecido por seu uso irregular na formulação do raticida doméstico "chumbinho", foi banido do mercado brasileiro. A decisão foi adotada diante do alto número de acidentes provocados pelo produto.

LÍGIA FORMENTI / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

07 de novembro de 2012 | 02h08

O aldicarbe era o agrotóxico mais nocivo em uso no País. "Todos trazem riscos. Mas esse, pelas suas características, pelo emprego incorreto, estava associado a um número muito elevado de intoxicações e envenenamentos", afirmou o diretor de Controle e Monitoramento Sanitário da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Agenor Álvares. A Anvisa estima que o albicarbe seja responsável por 60% dos 8 mil casos de intoxicação por chumbinho registrados anualmente no País.

Clandestino, o chumbinho não possui rótulo nem orientações para uso ou advertência sobre riscos. "Eram inúmeros os relatos de problemas com crianças e envenenamento de animais", contou Álvares. Em humanos, o chumbinho provoca náuseas, vômito, salivação, contração da pupila, diarreia, taquicardia e, se o socorro não for rápido, morte.

O banimento ocorre depois da adoção de uma série de medidas para tentar reduzir acidentes, iniciada em 2006. A permissão para uso do produto foi limitada para as culturas de batata, café, citros e cana-de-açúcar nos Estados da Bahia, São Paulo e Minas. Apenas agricultores certificados e propriedades cadastradas podiam adquirir o produto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.