Ataque no Marrocos foi feito por controle remoto, diz França

Ataque no Marrocos foi feito por controle remoto, diz França

Analistas de segurança disseram antes que atentado foi obra de suicidas; 15 morreram na ação

REUTERS

30 Abril 2011 | 13h23

PARIS - A explosão que matou 15 pessoas em Marrakesh, no Marrocos, foi acionada por um controle remoto, e não por um suicida como se previu anteriormente, afirmou o Ministro do Interior da França em uma entrevista publicada neste sábado, 30.

 

O ataque da quinta-feira, 28, atingiu um popular café em frente à praça Jamaa el-Fnaa na hora do almoço. Analistas de segurança ocidental atribuíram o ataque a militantes islâmicos com o objetivo de destruir a indústria de turismo do Marrocos.

 

Dois residentes no local afirmaram terem visto um suicida. Um site de notícias árabe disse que o ataque tinha sido cometido por um suicida que tinha saído recentemente da prisão. Mas as autoridades marroquinas não disseram que foi o responsável.

"Ao contrário do que foi dito anteriormente, não houve atentado suicida", afirmou Claude Gueant ao jornal semanal Le Journal du Dimanche. "Alguém deixou uma bolsa no chão e a bomba foi detonada por controle remoto."

A bomba continha pregos, nitrato de amônio e um alto explosivo chamado TATP, que também foi utilizado em uma série de atentados no sistema de metrô em Paris em 1995, disse.

Desafios

 

O ataque aumentou os desafios do rei Mohammed em um momento em que ele tenta evitar que as revoltas no mundo árabe cheguem ao seu país, que frequentemente é visto como um local de estabilidade em uma região inconstante.

Gueant disse ainda que sete dos 15 mortos eram de nacionalidade francesa, mas que o ataque não era para atingir a França.

Autoridades marroquinas disseram na sexta-feira que haviam identificado sete estrangeiros entre os mortos, incluindo foi franceses, dois canadenses, um holandês e dois marroquinos.

Mais conteúdo sobre:
MARROCOSFRANCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.