Atrás de cordão policial, Sérvia conduz primeira Marcha do Orgulho Gay desde 2010

Ativistas dos direitos dos homossexuais na Sérvia realizaram a primeira Marcha do Orgulho Gay em quatro anos neste domingo, conduzida em Belgrado em meio a ruas esvaziadas de trânsito e pedestres, sob uma massiva operação de segurança.

REUTERS

28 Setembro 2014 | 10h53

Milhares de policiais de choque com carros blindados, canhões d’água, a cavalo e escudados isolaram as ruas, da sede do governo até o parlamento, que levavam ao local da breve marcha para evitar uma reencenação dos conflitos entre ultra-nacionalistas e torcedores de futebol que aconteceram em 2010.

As autoridades baniram a Marcha do Orgulho Gay pelos três anos seguintes, alegando motivos de segurança. A homofobia é generalizada na Sérvia e em outras sociedades conservadoras nos Bálcãs; o líder da Igreja Ortodoxa Sérvia comparou, na semana passada, a homossexualidade à pedofilia e ao incesto.

Entretanto, uma vez que a Sérvia tem negociado para se unir à União Européia, o bloco deixou claro que considera o Orgulho Gay como um teste decisivo do comprometimento do país em defender os direitos humanos universais.

Centenas de pessoas participaram, agitando bandeiras arco-íris e apitando enquanto helicópteros policiais sobrevoavam a cidade.

(Reportagem de Aleksandar Vasovic)

Mais conteúdo sobre:
SERVIAORGULHOGAY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.