Brasil se torna maior mercado de caminhões para a Mercedes

Efeito da crise na Europa fez a Alemanha perder a liderança em vendas

Renato Cruz, O Estadao de S.Paulo

28 de outubro de 2009 | 00h00

Com o impacto forte da crise nas vendas europeias, o Brasil ultrapassou a Alemanha este ano e se tornou o principal mercado para os caminhões da Mercedes-Benz. De janeiro a setembro, foram vendidos 21,8 mil veículos com mais de 6 toneladas no País, comparados a 16,8 mil na Alemanha. Em terceiro lugar vem a Turquia, com 3,7 mil.

"O Brasil é o primeiro mercado a dar sinais fortes de recuperação", afirmou Hubertus Troska, vice-presidente executivo da Divisão Caminhões da Mercedes-Benz Europa e América Latina, em visita ao País.

"Na Europa, esta crise é a mais grave que já enfrentamos desde a Segunda Guerra, ou até mesmo desde o início da empresa", explicou o executivo.

A queda das vendas no Brasil este ano ficou abaixo da verificada em outras regiões. O mercado europeu deve sofrer uma retração de cerca de 45% este ano, em comparação com 2008.

No Brasil, a queda deve ficar em cerca de 17%, com total de 105 mil unidades, levando-se em conta as vendas de todos os fabricantes. Mesmo assim, esse resultado deve ser o segundo maior da história no País, perdendo somente para o ano passado. Para 2010, a expectativa é que as vendas brasileiras fiquem em cerca de 120 mil unidades.

"O mercado brasileiro está sendo incentivado por diversos setores, como agricultura, construção e mineração", explicou Gero Herrmann, presidente da Mercedes-Benz do Brasil. O executivo está deixando o comando da subsidiária brasileira para se tornar vice-presidente sênior de Legal & Compliance na matriz, em Stuttgart. Jürgen Ziegler, que comandou a operação da Turquia e estava presente na entrevista, assumirá a subsidiária brasileira.

Enquanto o Brasil começa a mostrar sinais de recuperação agora, o crescimento só deve voltar à Europa no segundo semestre de 2010. "O mercado europeu de caminhões no ano que vem deve ser pelo menos igual ao deste ano", disse Troska. "No pior dos casos, 2010 não será pior." A Alemanha ainda lidera em produção, pois atende outros mercados da Europa.

O executivo afirmou que, ao se tornar o maior mercado para os caminhões da empresa, o Brasil se torna candidato forte a receber novos investimentos.

Os outros Brics (Rússia, Índia e China) ainda não são representativos para a Mercedes-Benz. "Temos mais de 50 anos de Brasil", explicou Troska, acrescentando que, nesses outros mercados, ainda estão começando.

A Mercedes-Benz é líder de mercado na Alemanha e na Turquia. No Brasil, está em segundo lugar, com 29,1% de participação de janeiro a setembro no mercado de caminhões com mais de 3,5 toneladas. Em primeiro lugar vem a Volkswagen (30,9%) e, em terceiro, a Ford (18,5%). A fábrica da Mercedes em São Bernardo do Campo (SP) é a maior da empresa fora da Alemanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.