Câmara vai gastar R$ 17 mi com agência de publicidade

Em 2010, ao menos 23 vereadores disputarão eleições

Diego Zanchetta e Débora Bergamasco, O Estadao de S.Paulo

26 de novembro de 2009 | 00h00

Às vésperas do início de ano eleitoral, quando pelo menos 23 dos 55 vereadores paulistanos vão concorrer a vagas de deputado federal e estadual, a Mesa Diretora da Câmara vai gastar R$ 17 milhões na contratação de uma agência de publicidade. O serviço inédito será destinado "a dar na mídia o espaço que a Câmara merece, com a produção de boletins mensais sobre as ações do Legislativo", segundo resumiu o vereador e publicitário Dalton Silvano (PSDB), vice-presidente da Casa. A concorrência, em andamento desde o início de outubro, deve ser concluída até o fim de dezembro.

A verba para a contratação, estimada em R$ 8,5 milhões por semestre, já foi reservada no Orçamento de 2010 da Câmara. "Meu papel como publicitário é tentar dar maior visibilidade às ações da Casa. A agência vai fazer uma divulgação institucional, sem dar publicidade aos vereadores", argumentou Silvano. Procurado para comentar o assunto, o vereador Wadih Mutran (PP), corregedor da Câmara e integrante da Mesa, disse que a agência vai servir "para defender os vereadores dos ataques veiculados na imprensa".

O assunto era tratado de forma sigilosa entre os oito integrantes da Mesa Diretora, que temiam a repercussão negativa que o novo gasto poderia render na opinião pública. Alguns líderes de bancada, porém, insatisfeitos com a falta de informações, começaram a consultar procuradores da Casa para obter detalhes da licitação. Essa consulta fez o assunto se espalhar. Desde a semana passada, assessores tentam descobrir como será o funcionamento da agência na Câmara.

Ao saber da licitação, o vereador Cláudio Fonseca (PPS) assumiu oposição ao projeto e disse ontem considerar o serviço "totalmente dispensável". "É um dinheiro desperdiçado, o Legislativo já tem funcionários para esse serviço."

Com R$ 310 milhões de Orçamento anual e 2 mil funcionários, o Legislativo já conta com a TV Câmara, que tem verba de R$ 17,4 milhões. Cada gabinete conta ainda com verba mensal de custeio de até R$ 14,859 mil e 19 assessores, entre eles jornalistas e profissionais contratados para divulgar ações dos mandatos. A Casa também tem o Centro de Comunicação Institucional, que engloba a estrutura para a realização de eventos multimídia e o cerimonial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.