Cartas

Pinheiros não tombam ao vento

O Estado de S.Paulo

31 de março de 2010 | 03h30

No bairro onde moro, no sul da capital paulista, meu vizinho tem um pinheiro plantado no quintal de casa e outro na calçada. As árvores são grandes, com aproximadamente 25 metros de altura e ficam a menos de 10 metros da minha casa. Notamos que elas balançam muito com o vento. Gostaria de saber se essa espécie de árvore tem raízes profundas e se oferece algum risco.

SÔNIA ENJU

SÃO PAULO (SP)

Normalmente as coníferas em geral são resistentes a ventos. É comum vermos pinus, ciprestes e araucárias, entre outros, com muitos anos e bastante altos, sem nunca terem tombado com ventanias. É o que explica o agrônomo da Fazenda Citra, Luis Bacher. Segundo ele, essas plantas costumam apresentar um sistema radicular (raízes) profundo e resistente. "Existem, porém,problemas que podem, sim, causar sua queda. É preciso observar sempre se a planta não apresenta problemas como galhos secos, orifícios de brocas nos troncos ou áreas necrosadas nos caules." Para fazer uma análise sobre as condições da árvore e verificar a eventual necessidade de poda dos galhos é preciso procurar a subprefeitura responsável pela sua região (no caso a Subprefeitura de Santo Amaro). Lá, o leitor irá solicitar uma vistoria, que será feita pela Unidade de Parques e Jardins (UPJ). O telefone da Subprefeitura de Santo Amaro, responsável pela região da leitora, é (0--11) 3396-6100. Luis Bacher. E-mail: luisbacher.vendas@gmail.com.

Óleo de nim afasta mosca minadora

Tenho em casa um pé de manjericão que está com as folhas todas furadas e com manchas pretas. O que está acontecendo e o que devo fazer para combater isso?

OSVALDO MODENA

BARUERI (SP)

Pela descrição, parece que o manjericão em questão foi atacado pela mosca minadora (Liriomysa ssp), conhecida também como larva minadora. É o que explica a nutricionista e herbologista do viveiro orgânico Sabor da Fazenda, Silvia Jeha. "Trata-se de uma pequena mosca, cujo tamanho não ultrapassa 2 milímetros. As larvas da mosca se alimentam exclusivamente das folhas, que ficam furadas, perdem a cor e têm seu crescimento prejudicado." Segundo a especialista, essa praga costuma aparecer quando o tempo está seco e seu combate é feito com óleo de nim. O preparo da solução é simples. Basta misturar uma colher de chá do óleo para cada litro de água. Além do óleo, é recomendável também adicionar um pedaço pequeno de sabão de coco à solução. "Depois, é só pulverizar a planta, sem esquecer do lado de trás das folhas", orienta a especialista. Silvia explica porém que a aplicação deve ser feita várias vezes, pois o óleo não causa a morte imediata da praga, "A dica é fazer no mínimo quatro pulverizações, sendo uma por semana. Mas é preciso evitar pulverizar em dias chuvosos. Silvia Jeha. E-mail: sabordafazenda@sabordafazenda.com.br.

Este fruto é a pêra-do-cerrado

Encontrei este fruto próximo à minha casa, porém não consegui identificá-lo. Ele pesa aproximadamente 50 gramas e é muito saboroso. Parece uma manga num pé pequeno

NATARO KITAOKA A. DA SERRA (SP)

De acordo com o pesquisador do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Marco Tecchio, a fruta fotografada pelo leitor é a pêra-do-cerrado, espécie da família Myrtaceae (Eugenia klotzschiana Berg).

"É uma espécie que possui um fruto de bela aparência e gosto exótico, levemente ácido", diz Tecchio. Segundo ele, esta espécie ocorre em touceiras e pode ser utilizada na prática vegetativa de controle da erosão dos solos dentro de uma perspectiva de exploração econômica." Marco Tecchio. E-mail: tecchio@iac.sp.gov.br.

Marimbondos no ar condicionado

No 14º andar do edifício onde moro há uma casa de marimbondos instalada embaixo do aparelho de ar condicionado. Já removemos o ninho várias vezes, mas eles sempre voltam. O que devo fazer? Existe alguma solução doméstica?

SÔNIA GARCIA

RIO DE JANEIRO (RJ)

O proprietário da empresa SOS Abelhas, especializada na captura de enxames, Antonio Padovani Junior, o "Toninho das Abelhas", diz que estruturas como caixas de ar-condicionado atraem os marimbondos, porque formam uma cobertura seca. Ele diz que mesmo depois da retirada do ninho sempre ficam resíduos no local. Segundo o especialista, a solução mais comum após a remoção é aplicar repelentes para evitar a formação de outro ninho. Porém, há soluções alternativas, como a aplicação de óleo queimado misturado com graxa. "Pode-se pincelar essa solução no local onde ficavam os marimbondos. Esse procedimento deve ser repetido a cada seis meses", diz Antônio Padovani Júnior. Tel. (0--11) 4221-6690.

Árvore da Amazônia não floresce em SP

Há dez anos plantei, na calçada de casa, uma muda de cássia rosa que que trouxe do interior. Ela cresceu, porem nunca deu flores. qual seria a razão para isso?

MARIA JOSÉ CARNEIRO

SÃO PAULO (SP)

Segundo a agrônoma e pesquisadora do Instituto de Botânica de São Paulo, Maria de Fátima Scaf, a árvore em questão é uma espécie da Região Amazônica. "É uma espécie adaptada à temperaturas mais elevadas. Talvez por esse motivo o clima de São Paulo não favoreça a inflorescência", avalia. Segundo ela, o não florescimento pode também estar relacionado à falta de nutrientes do solo. Neste caso é possível fazer essa compensação por meio de abudação. "Para estimular o florescimento usa-se adubação fosfatada, que também ajuda no desenvolvimento das raízes secundárias da planta, importante para a absorção de água e sais minerais." Para este caso, Maria de Fátima recomenda utilizar adubação com composto NPK (nitrogênio, fósforo e potássio) 14-14-20. Mais informações, com Maria de Fátima Scaf, por intermédio do e-mail: mscaf@ibot.sp.gov.br.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.