Cedae aponta falha da prefeitura do Rio no Rebouças

A liberação do Túnel Rebouças, hoje de manhã, ocorreu em meio a um novo embate entre a prefeitura e a Companhia Estadual de Águas e Esgoto (Cedae), que trocam acusações a respeito da responsabilidade pelo acidente. A Cedae apresentou imagens de um teste nas galerias pluviais no Morro Cerro-Corá, com corante. As cenas mostram a água rosada escorrendo por uma área de encosta. "Fizemos o teste no sistema da prefeitura. Ficou claro, objetivo e límpido que o sistema de drenagem não está funcionando. A água desceu como cachoeira junto ao local em que houve o desabamento", afirmou Wagner Victer, presidente da companhia. As imagens foram apresentadas um dia depois de a Cedae anunciar que vai ingressar com ação indenizatória contra o secretário Municipal de Obras do Rio, Eider Dantas, que fez declarações contra Victer e levantou a suspeita de o deslizamento ter sido causado por vazamento em canos da Cedae. Victer informou que encaminhou cópias do DVD com as imagens do teste para o Ministério Público Estadual, órgãos da prefeitura e o Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea). "A Cedae não quer acusar ninguém, mas se houver outra chuva o problema pode voltar a ocorrer. Não queremos ser acusados de conivência com a prefeitura", afirmou Victer. Dantas não quis comentar as imagens. De acordo com a Assessoria de Imprensa da secretaria de Obras, o secretário só vai se pronunciar depois que for concluído o relatório sobre as causas do desabamento, o que só deve ocorrer na segunda-feira, depois do feriado prolongado.

CLARISSA THOMÉ E PEDRO DANTAS, Agencia Estado

31 de outubro de 2007 | 19h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.