China abrirá centros de troca de agulhas para combater aids

O governo chinês planeja abrir 300 centros de troca de agulhas, num esforço para deter a disseminação da aids entre usuários de drogas intravenosas. O país já tem 91 centros onde usuários podem obter agulhas limpas, reduzindo a necessidade de partilhar agulhas usadas, diz a agência de notícias oficial Xinhua.O informe da Xinhua não diz onde os novos centros serão instalados."A decisão tem o objetivo de deter transferência da infecção por HIV dos usuários de alto risco para a população em geral", diz a nota da agência oficial. O uso de narcóticos é a principal causa da disseminação do vírus da aids na China, onde 44,3% dos infectados pelo mal traçam a origem da doença à partilha de agulhas para o uso de heroína, ainda de acordo com a Xinhua.

Agencia Estado,

29 de setembro de 2006 | 14h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.