PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

O mundo das viagens e as minhas viagens pelo mundo

Rotas de café pelo Brasil, em Minas Gerais, São Paulo e outros estados

Passa um café e vem conferir roteiros sobre o tema no país. Tem visita a fazendas e degustações da bebida e de delícias feitas com o grão

Foto do author Nathalia Molina
Por Nathalia Molina

"São Paulo dá café, Minas dá leite e a Vila Isabel dá samba." A obra-prima de Noel Rosa eternizou a tradição cafeeira deste estado, sorvida por mim num tanto de xícaras nestes 25 anos de carioca morando na cidade de São Paulo. Como 14 de abril é Dia Mundial do Café, resolvi dar uma olhada ontem em como andam as rotas turísticas no Brasil relacionadas ao grão. Passa um aí e me acompanha aqui.

PUBLICIDADE

Os versos de Feitiço da Vila, compostos em 1934, ficaram para a história, assim como as fazendas de café de São Paulo e do Rio de Janeiro - nos 2 casos, algumas são abertas a visitantes. De lá para cá, Minas Gerais se tornou o principal produtor nacional do grão. No entanto, me surpreendi com a minha ignorância de que o Espírito Santo ocupa o segundo lugar do ranking. São Paulo vem em 3º apenas. Os dados são da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Entre no grupo gratuito de WhatsApp do Como Viaja para receber novidades e dicas na palma da mão, sempre no fim do dia

Café em Minas Gerais: mesa no Jane's Apple em Tiradentes - Foto: Nathalia Molina @ComoViaja

Assim, naturalmente, o Sudeste concentra a maior parte das rotas turísticas de café no Brasil. No entanto, roteiros com visita a fazendas e degustação da bebida e de delícias elaboradas com o grão estão presentes também em outras áreas do país, por exemplo, no Ceará e no Paraná.

Uma área do mapa ter sido ou ainda ser produtora de café não faz dela um lugar de visitação turística, necessariamente, pois diversas delas não contam com roteiros ou fazendas abertas à visitação. Por isso, te peço: se você conhecer algum lugar interessante, deixe nos comentários desta minhas publicação no Instagram @ComoViaja, para eu saber e mais gente poder ir até lá.

Publicidade

Quando elas possuem passeios turísticos, raramente são rotas estruturadas com incentivo de governos, como forma de política pública para estabelecer o turismo rural. E, sim, são empreendedores que isoladamente ou em grupo criam roteiros locais. O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) incentiva várias dessas iniciativas.

A título de informação: o Sudeste foi responsável por 86% das 55 milhões de sacas de café produzidas no país em 2023, segundo a Embrapa. As outras regiões responderam por: 6,1%, Nordeste; 5,5%, Norte; 1,3%, Sul; e menos de 1%, Centro-Oeste. Para 2024, a Embrapa estima uma safra de 58 milhões de sacas no Brasil.

Roteiros de café em Minas Gerais

Maior produtora de café do Brasil, Minas Gerais tem sua Rota do Café Especial. O ponto central é a cidade de São Lourenço, aquela mesma do Circuito das Águas. Com o município vizinho de Carmo de Minas, ela atrai apreciadores de grãos selecionados.

Lá, a Unique Cafés organiza passeios de 4 horas, com visitação à lavoura e explicações sobre os processos de pós-colheita e torra. Já a Rota do Café do Sul de Minas, da Araucária Ecoturismo, dura 3 dias e reúne experiências em 6 cidades mineiras, incluindo Cruzília e Caxambu.

Publicidade

Outras áreas do estado também chamam atenção, caso de Manhuaçu, cidade perto da divisa com o Espírito Santo, onde fica a Fazenda Alto da Serra.

PUBLICIDADE

Conheci boas cafeterias em Tiradentes, onde a bebida é preparada do jeito tradicional mineiro, com coador de pano e canequinha embaixo. O cafezinho é um acontecimento, com xícara e mesa lindamente postas. E vem sempre acompanhado de bolos, biscoitos e guloseimas caseiras no Marcas Mineiras e no Jane's Apple Factory (que ainda tem suas maçãs confeitadas).

Em Monte Verde, também dá para tomar a bebida preparada do modo tradicional, com coador de pano, no Benditto Café. Para experimentar cafés tipo exportação, da variedade Catuaí Vermelho, com grãos cultivados na cidade de Campanha, na Serra da Mantiqueira, dê uma passada na Le Cadeau de Dieu - Café et Sucré.

Fazendas e café no Espírito Santo

A Festa do Café Arábica já entrou para o calendário de Venda Nova do Imigrante, com forte agroturismo capixaba. Em 2024, está marcada para 14 e 15 de setembro.

Publicidade

Já estive nessa região do Parque Estadual da Serra Azul e próxima da cidade de Domingos Martins. Muitas fazendas abertas ao público são tocadas por famílias de imigrantes italianos. Elas produzem e vendem uma variedade de produtos, incluindo embutidos, queijos e cafés especiais, caso da Brioschi e da Carnielli.

Siga @ComoViaja no Instagram para acompanhar viagens e informações

Em Santos, Museu do Café junta história e cursos - Foto: André Monteiro/Divulgação

Experiências com café em São Paulo

O Museu do Café, em Santos, não podia ficar de fora desta lista. Além de contar a história do grão e da bebida no Brasil, promove cursos como os deste mês de abril: Aromas do Café (20/4), para entender a formação dos aromas e aprender a reconhecer notas, e Introdutório de Torra (27/4), para aprender sobre equipamentos e o processo de provas.

Atualmente, Caconde é o município que mais produz café em São Paulo, segundo a Embrapa, que também informa que lá predominam pequenos produtores. Dá para aproveitar o passeio do Café Basilli e o visual do mirante da cidade para uma xícara no Onze Cafebar.

Publicidade

Produtora de cafés especiais, a Santa Maria Rosting Co abre sua fazenda a visitantes. A experiência em Espírito Santo do Pinhal explica plantio, colheita, benefício e torra para o público.

A região de Campinas tem a Fazenda Tozan. Era fevereiro de 2022 - eu vinha publicando uma página por semana sobre viagem no Caderno 2, aqui do Estadão, desde o início da pandemia de covid -, quando surgiu uma pauta sobre passeios de bate-volta em São Paulo. Durante a apuração da reportagem, que fiz em parceria com Fernando Victorino (meu companheiro de vida e de Como Viaja), a gente descobriu a existência dos roteiros com piquenique e pôr-do-sol da Tozan.

Ainda perto da capital, vale checar a Rota do Café de Bragança Paulista. Na cidade, café, história e experiências são a pegada no Café Seo Lilo. Aliás, se o assunto for cafeteria boa, a xícara transborda na capital paulista. Alguns exemplos disso são the little coffee shop e Coffee Lab, com torras especiais e cursos de barista.

Vale do Café no Rio de Janeiro

Várias fazendas históricas do Vale do Café fluminense foram restauradas e viraram atração turística. Em algumas, existe a chance de se hospedar. A Fazenda Alliança Agroecológica, em Barra do Piraí, é uma dessas opções. Outra é a Fazenda São Luiz da Boa Sorte.

Publicidade

Essa região do Rio é cenário do Festival Vale do Café, que chega à 19ª edição em 2024. Inclui cursos e apresentações musicais em estações de trem e nas fazendas históricas. Para planejar a viagem, veja mais sobre as cidades no Vale do Café Convention & Visitors Bureau.

Entre no grupo gratuito de WhatsApp do Como Viaja para receber novidades e dicas na palma da mão, sempre no fim do dia

A Fazenda São Luiz da Boa Sorte, no Vale do Café (RJ) - Foto: Fred Pontes/Divulgação

 

CHECK OUT

Rota do Café do Paraná

O Londrina Coffee Tour junta viagem de trem, explicação de guia sobre história e degustação da bebida. A cidade e outros 7 municípios formam a Rota do Café do Paraná, no norte do estado.

Publicidade

Rota Verde do Café, no Ceará

No Maciço de Baturité (ou Serra de Guaramiranga), é possível visitar propriedades rurais históricas e conhecer a produção de café. O Instituto Sítio São Luís tem cafeteria e organiza visitas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.