China descobre 'novas' geleiras no teto do mundo

Imagens de satélite revelaram a presença das 42 geleiras no condado Bomi, 4,200 km acima do nível do mar

Reuters,

25 de setembro de 2007 | 14h41

A China descobriu 42 novas geleiras no teto do mundo, o platô de Qinghai-Tibete, cujas camadas de gelo vêm diminuindo em virtude do aquecimento global, informou a mídia estatal na terça-feira, 25. Esse novo grupo de geleiras pode ser o maior dentre os existentes na área.                                   O governo chinês se preocupa cada vez mais com o aquecimento global, já que há estudos mostrando que as geleiras do platô, onde os maiores rios da China nascem, estão diminuindo.                                   Imagens de satélite revelaram a presença das 42 geleiras no condado Bomi, que possui uma altitude média de 4.200 metros acima do nível do mar, afirmou o jornal China Daily.                                   Os rios de gelo presentes do platô, que faz fronteira com o Himalaia, respondem por 80% das geleiras da China e são cruciais para o fornecimento de água potável e de água para irrigação nas terras mais baixas do país.                                   "Se isso (a descoberta) for confirmado, esse seria o maior grupo de geleiras do platô", disse, segundo a mídia local, Zhaxi Norbu, diretor do departamento de relações públicas do condado de Bomi.                                    A China possui cerca de 46 mil geleiras, cobrindo um total de 60 mil quilômetros quadrados e localizadas em sua maioria no Tibet e em Xinjiang.                                    No último século, a área das geleiras diminuiu em cerca de 30%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.