Chuva deixa desabrigados no litoral e causa estragos no interior de SP

Seis mil pessoas estão sem água em Caraguatatuba; em cidades como Marília, carros foram arrastados pelas águas

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

11 de março de 2019 | 11h30

SOROCABA - As chuvas intensas que atingiram a região deixaram desabrigados e levaram à suspensão das aulas em cinco escolas, nesta segunda-feira, 11, em Caraguatatuba, litoral norte do Estado de São Paulo. O sistema de abastecimento foi atingido e cerca de 6 mil pessoas estão sem água, segundo a prefeitura. O acesso à cidade pela Rodovia dos Tamoios está bloqueado pela queda de barreiras. Os deslizamentos também causaram a interdição da rodovia Rio-Santos, entre São Sebastião, Caraguatatuba e Ubatuba.

    De acordo com a Defesa Civil, nove moradores do bairro Capricórnio foram retirados de casas alagadas e estão abrigadas no Centro Esportivo Ubaldo Gonçalves. Devido às inundações, foram suspensas as aulas nas escolas de educação infantil Pedro João Oliveira, no bairro Tabatinga; Maria Tereza de Souza Castro, no Getuba; Vera da Silva Santos, no Portal da Fazendinha; Esther Nunes, no Sertão dos Tourinho, todos na zona norte, e ainda na escola Aparecida Maria Pires de Menezes, no bairro Olaria, região central.

       As chuvas assorearam o sistema de captação, deixando sem água 16 bairros da região do Massaguaçu. A expectativa é de que o abastecimento seja normalizado à tarde. 

     ESTRADAS - Na rodovia Rio-Santos, uma pista está interditada entre Caraguatatuba e São Sebastião, devido ao desmoronamento parcial da pista, entre as praias de Cigarras e Enseada. O trânsito segue no sistema pare e siga. No bairro Jetuba, a rodovia também tem interdição parcial devido à queda de árvores e de uma encosta. Equipes do Departamento de Rodagem (DER) trabalham no local.

Interior - As chuvas que caíram entre a tarde de domingo, 10, e a manhã desta segunda-feira, 11, derrubaram árvores, alagaram casas, interditaram vias e deixaram duas pessoas feridas em cidades do interior de São Paulo. Em Marília, 14 veículos foram arrastados pelas enxurradas e, em nove casos, os bombeiros foram acionados para retirar ocupantes ilhados. A Estrada Ribeirão dos Índios praticamente desapareceu após a enchente. No distrito de Padre Nóbrega, a queda de uma árvore atingiu uma casa. Outras 13 casas foram alagadas.

    Em Ribeirão Preto, a rodovia Prefeito Antônio Duarte Nogueira (Anel Viário Sul) e outras 19 ruas e avenidas foram interditadas pela queda de árvores. No início da tarde desta segunda, equipes ainda trabalhavam na desobstrução das vias. Uma mulher ficou ferida quando o carro em que estava foi atingido pela copa de uma árvore. Conforme o Departamento de Água e Esgoto de Ribeirão Preto, o temporal atingiu quatro sistemas de abastecimento e 14 bairros estavam sem água.

     Em São Carlos, a chuva causou a queda de um muro e a abertura de uma grande cratera na rua Episcopal, que está interditada. No distrito de São Francisco Xavier, em São José dos Campos, um temporal transformou um riacho num rio caudaloso e 14 casas da região central foram alagadas. Uma ponte turística na cachoeira Pedro David foi danificada. 

      Em Birigui, 12 árvores caíram, uma delas sobre um carro, mas ninguém se feriu. Várias ruas ficaram alagadas na Vila Roberto. Em Tupi Paulista, um homem de 45 anos foi arrastado pena enxurrada, na avenida Dona Júlia Sales, no centro. Ele foi salvo por policiais militares, ferido na cabeça e em estado de choque.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.