Cientista norueguês admite fraude em três estudos

O cientista norueguês Jon Sudbo, que admitiu a falsificação de dados em um estudo para a revista britânica The Lancet, reconheceu que fraudou informação em mais dois artigos, disse seu advogado, Erling Lyngtveit, em entrevista publicada nesta segunda-feira. Autoridades norueguesas divulgaram, no começo do mês, que Sudbo havia admitido a falsificação no estudo publicado em The Lancet em outubro passado, e que autoridades médicas começariam a investigar todas as pesquisas do cientista. Na sexta-feira, o New England Journal of Medicine divulgou que, no estudo publicado em 26 de abril de 2001, as duas fotografias de pacientes com diferentes estágios de câncer de boca eram, na verdade, de um mesmo paciente. A revsita mandou um carta de preocupação ao Hospital Norwegian Radium em Oslo, onde Sudbo trabalha. Um segundo artigo, publicado em 1º de abril de 2004, também teria lançado mão do mesmo "grupo de pacientes".Lyngtveit disse que Sudbo admitiu que algumas das informações contidas no artigo de 2004 não vieram de estatísticas do governo, como havia sido divulgado. Em outro artigo, também sobre câncer de boca, publicado em março de 2005, no Journal of Clinical Oncology, Sudbo exagerou o número de amostras de sangue incluídas no estudo.O advogado disse que outros pesquisadores envolvidos nos estudos não são responsáveis pela fraude. "A culpa é apenas ele, e de ninguém mais", ressaltou.

Agencia Estado,

23 de janeiro de 2006 | 13h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.