Confrontos matam 65 pessoas na Somália em três dias

Conflitos entre grupos islâmicos rivais na Somália mataram pelo menos 65 pessoas e feriram mais de 190 em três dias de combates no país africano, disseram testemunhas e fontes hospitalares no domingo.

REUTERS

10 de maio de 2009 | 10h40

O governo somali continua a sofrer diante de uma potente insurgência no país. Centenas de islâmicos moderados leais ao governo e integrantes da milícia Al Shabaab lutaram no norte de Mogadíscio ao longo do fim de semana.

"Matamos um número incontável de combatentes do governo e islâmicos moderados. Os corpos deles estão nas ruas", disse à Reuters o xeique Mohamed Ibrahim Bilal, integrante de alto escalão da Al Shabaab.

Moradores e fontes hospitalares disseram que 65 pessoas foram mortas nos combates e outras 181 ficaram feridas.

A Somália não tem um governo central efetivo desde 1991 quando o ditador Mohamed Siad Barre foi derrubado do poder.

(Reportagem de Abdi Sheikh, Mohamed Ahmed e Ibrahim Mohamed)

Tudo o que sabemos sobre:
SOMALIACOMBATESMEIACINCO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.