Criacionistas sofrem golpes na eleição americana

O movimento do design inteligente (DI), que busca contestar o ensino da teoria da evolução nas escolas públicas dos Estados Unidos, sofreu duras derrotas políticas na recente rodada eleitoral americana. Candidatos a favor do ensino da evolução assumiram o controle da Comissão Estadual de Educação do Kansas, e fortaleceram sua presença na Comissão Estadual de Ohio. Alguns cientistas também saudaram a derrota do senador republicano da Pensilvânia Rick Santorum, uma das principais forças políticas por trás do movimento do DI.Em Ohio, a candidata à reeleição para o comitê estadual, Deborah Owens Fink, foi derrotada por Tom Sawyer, um ex-professor que concorreu a pedido da comunidade científica local. Owens Fink vinha se esforçando para diluir a presença de conteúdo relacionado à evolução no currículo de Ciências do Estado.No Kansas, defensores da evolução já tinham a maioria da comissão de 10 membros, conquistada após eleições primárias realizadas meses atrás. No pleito desta semana, conseguiram manter a vantagem de 6 votos a 4. "Isso mostra o Estado dividido" na questão, disse a eleita Sally Cauble, segundo o serviço noticioso online ScienceNOW.Embora o debate sobre DI não tenha sido importante na maior parte das disputas para o Congresso americano, Santorum pode ter sido punido por tentar se afastar do movimento, depois que uma tentativa de incluir o design inteligente no currículo escolar de uma cidade do Estado da Pensilvânia foi barrada na Justiça. A mudança súbita de posição pode ter lhe custado tanto votos dos conservadores quanto dos moderados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.