Crise e produção maior levam superávit da Petrobras a US$1,45 bi

Maior produção e demanda menor garantiram no segundo trimestre um superávit comercial quase 600 por cento maior para a Petrobras em relação ao mesmo período do ano passado.

REUTERS

06 Agosto 2009 | 18h34

Segundo comunicado enviado pela empresa nesta quinta-feira, a companhia teve saldo na sua balança de exportação e importação da ordem de 1,45 bilhão de dólares, decorrentes de exportações de 3,98 bilhões de dólares e importações de 2,53 bilhões de dólares.

Em volumes, a estatal vendeu ao mercado externo 512 mil barris diários de petróleo e 237 mil barris diários de derivados. Por outro lado importou 361 mil barris diários de petróleo leve e 121 mil barris de derivados.

A menor atividade agro-industrial e maior produção no Brasil reduziu a necessidade de importação de diesel, informou a companhia, decorrendo em queda de 50 por cento na compra do combustível em relação ao segundo trimestre de 2008. Os derivados de maneira geral tiveram queda de 28 por cento na mesma comparação.

A Petrobras destacou ainda o crescimento de 9 por cento na produção total de petróleo no país no segundo trimestre, o que ajudou a atingir o superávit.

(Por Denise Luna)

Mais conteúdo sobre:
ENERGIAPETROBRASBALANCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.