Emboscada de boiadeiros mata 32 policiais no Quênia

Boiadeiros armados mataram pelo menos 32 policiais quenianos em uma emboscada, disseram autoridades nesta segunda-feira, descrevendo o incidente como o pior ataque contra a polícia na história do Quênia.

Reuters

12 de novembro de 2012 | 17h26

Agentes que caçavam ladrões de gado numa remota região do norte do país, no sábado, foram atacados com metralhadoras e granadas de propulsão, numa embosca que a polícia disse ter sido realizada com "precisão militar".

"Recuperamos mais corpos, agora temos 32 no total. Eles foram emboscados pelos agressores que portavam armas sofisticadas, inclusive metralhadoras", disse à Reuters o comissário de polícia da vasta província do Vale do Rio Rift, Osman Warfa.

Autoridades disseram que a polícia estava perseguindo membros da comunidade étnica Turkana que teriam roubado gado da tribo Samburu. Os dois grupos costumam disputar reses, pastos e fontes de água.

Warfa disse que alguns dos agressores podem ser ex-integrantes das forças de segurança, hoje atuando como mercenários. As autoridades estão procurando mais corpos nas escarpas arborizadas onde os ladrões de gado costumam esconder as reses, segundo o policial.

A polícia havia perseguido os ladrões, pretendendo sitiar sua aldeia, mas acabaram surpreendidos pela emboscada, segundo Warfa.

(Reportagem de James Macharia)

Tudo o que sabemos sobre:
QUENIAEMBOSCADAPOLICIAIS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.