Escola pública leva prêmio Bovespa

Grupo de cinco alunos ganhou R$ 25 mil ao obter o melhor rendimento no desafio para jovens estudantes

Elida Oliveira, O Estadao de S.Paulo

30 de novembro de 2009 | 00h00

Um grupo de cinco alunos de 17 e 18 anos da Escola Estadual Professor Tenente Ariston de Oliveira, do bairro do Campo Limpo, em São Paulo, conseguiu 82,25% de rendimento sobre o valor virtual aplicado no Desafio BM&FBovespa. Pelo resultado, levaram o prêmio de R$ 25 mil, que será aplicado em ações por meio de um grupo de investimentos e poderá ser resgatado após 12 meses.

A disputa faz parte do programa de popularização da BM&FBovespa, que neste ano atraiu 529 escolas. Criado em 2006, o desafio já teve mais de 8,2 mil participantes. A última etapa ocorreu no sábado e envolveu 136 alunos de 15 escolas estaduais, 12 particulares, 2 técnicas e uma municipal.

"O próximo passo é investir", diz Jonatas Bruno Gomes, 17 anos, um dos vencedores. "Queremos dar a oportunidade aos jovens de terem educação financeira", disse Patrícia Quadros, gerente dos programas de popularização da BM&FBovespa. "Isso pode até mudar a situação socioeconômica das pessoas".

NA WEB

Em outubro de 2009, os investidores da Bovespa com até 25 anos já somavam 41.790. Para aumentar o interesse desse público jovem, a BM&FBovespa investe em simuladores virtuais. Em 2010, será lançada uma versão do desafio na internet. O programa deverá ter um curso a distância de investimento em ações e todas as eliminatórias serão feitas via internet.

"Uma bolsa de valores forte contribui para o desenvolvimento econômico do País, ajuda a financiar empresas e estimula as pessoas a formar uma poupança para o futuro", afirma Patrícia.

O segundo colocado foi o Colégio Nossa Senhora dos Remédios, de Osasco, com rentabilidade de 66,81% e prêmio de R$ 15 mil. Em terceiro, ficou o Colégio Machado de Assis, de São Paulo, com rendimento de 58,35% e prêmio de R$ 10 mil; em quarto, o Colégio Porto Marchesano, de Itapevi (rentabilidade 46,94% e prêmio de R$ 5 mil) e em quinto lugar, outra escola estadual, a Carlos Cattony, de São Paulo (rendimento de 45,94% e prêmio de R$ 2,5 mil). "É um começo de futuro", diz Felipe Amoresano, de 17 anos, aluno do Colégio Machado de Assis, terceiro lugar.

A preparação para o desafio teve um curso de investimento em ações dado pela BM&FBovespa. Depois, as 210 escolas partiram para as simulações, com seis eliminatórias.

A dinâmica envolvia análise de situações reais em simulações de investimentos no mercado de ações. Na final, os estudantes tiveram de investir com base em cenários diferentes: inflação sob controle e crescimento baixo, o que pressionava o Banco Central a reduzir juros; Comitê de Política Monetária discutindo o "estresse internacional"; Banco Central se antecipando e elevando juros; e, por fim, crescimento econômico e incerteza de mercado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.