EUA analisam dia 31 caso de brasileira detida

A Corte de Imigração dos Estados Unidos marcou para o dia 31 uma audiência sobre o caso da estudante paulistana V.L.S., de 15 anos. Ela está detida em Miami desde 27 de novembro, quando foi proibida de entrar no país. A família ainda não sabe o motivo da detenção, nem quando V. será liberada, como o jornal O Estado de S. Paulo revelou nesta quarta-feira (9). A garota tinha visto, passaporte e passagem de volta para o Brasil já comprada.

TIAGO DANTAS, Agência Estado

10 de janeiro de 2013 | 11h17

Após nove dias sem contato com a filha, a balconista Alexsandra Aparecida da Silva, de 36 anos, recebeu um telefonema dela ontem à tarde. "Ela está muito chateada. Como marcaram a audiência para o fim do mês, a gente acha que ela só poderá sair em fevereiro. Mas, se é para decidir que minha filha deve voltar, por que não fazem isso logo?"

Diplomatas brasileiros se comprometeram a visitar a garota nesta quinta-feira no abrigo para menores de idade para onde ela foi enviada, segundo o Ministério das Relações Exteriores. A corretora de imóveis Marli Volpenhein, de 41 anos, tia-avó de V. que vive em Miami, também pretende tentar visitá-la hoje, já que é o aniversário de 16 anos da garota.

A notícia da marcação da audiência para o fim de janeiro foi recebida com tristeza por V., segundo sua mãe. "Eles estragaram um sonho que minha filha tinha, que era conhecer os Estados Unidos e visitar os parques da Disney. Ela perdeu a vontade de ficar lá. Ela me disse: ?Mãe, não quero mais conhecer nada aqui. Só quero voltar para casa", disse Alexsandra.

V. ganhou a viagem para os Estados Unidos da tia e pretendia ficar lá até 26 de maio. As autoridades americanas dizem que não podem dar explicações sobre o caso para não invadir a privacidade de V. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Tudo o que sabemos sobre:
adolescente barradaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.