Furacão Gustav ofusca show republicano de McCain

Sem pompa e compouca política, o Partido Republicano abre sua convençãonacional na segunda-feira, evitando mais estardalhaço em sinalde respeito pela ameaça do furacão Gustav no sul do país. Temendo que as imagens de festividades republicanas sejaminapropriadas no momento em que uma forte tempestade seaproxima da costa do Golfo, McCain e seu partido farão umareunião somente de negócios no primeiro dia da convenção. No domingo, McCain visitou um cento de preparação e reaçãoa furacões, na esperança de evitar comparações com o presidenteGeorge W. Bush, que há três anos, quando da passagem do furacãoKatrina por Nova Orleans, demorou para dar atenção à crise efoi chamado de alienado. "Tenho todas as expectativas de que não veremos os erros doKatrina serem repetidos", disse McCain por satélite de SaintLouis, no domingo, após ser informado sobre os preparativoscontra a tempestade na região. "Houve muitos erros e eles foram cometidos em muitosníveis", disse a primeira-dama dos Estados Unidos, Laura Bush,ao programa "The Early Show", do canal CBS, quando perguntadase estava surpresa com as críticas feitas por McCain a GeorgeW. Bush quanto à sua ação durante o furacão Katrina. "Comcerteza, aprendemos com eles (os erros)." A convenção de quatro dias irá formalizar McCain e agovernador do Alaska, Sarah Palin, como candidatos republicanosa presidente e vice, para enfrentarem a chapa democrata formadapor Barack Obama e Joe Biden em 4 de novembro. Obama encerrou a convenção democrata, na quinta-feirapassada, com um discurso perante 75 mil seguidores num estádioem Denver. Os republicanos não quiseram especular sobre se e quando oresto da convenção vai acontecer. McCain disse à NBC News quepoderia fazer seu discurso de aceitação da candidatura naquinta-feira, via satélite, da costa sul dos EUA. Bush e seu vice, Dick Cheney, haviam cancelado aparticipação na convenção mesmo antes que a redução da agendafosse anunciada. A Casa Branca disse que Bush vai se dirigir àconvenção nos próximos dias. Na segunda-feira haverá a inauguração oficial da convençãoe alguns trâmites regimentais, segundo Rick Davis, gerente dacampanha de McCain, acrescentando que haverá também algum tempodestinado a informar delegados e espectadores sobre comoauxiliar nos trabalhos de ajuda às vítimas do furacão. A campanha de McCain fretou um avião para levar delegadosde Estados da costa sul de volta a seus Estados, o que lhespermitiria participar dos preparativos contra a tempestade. Alguns republicanos esperam que McCain se beneficie com umaresposta forte e compassiva ao Gustav. A ausência de Bush eCheney, que são amplamente impopulares entre o público, emboranão sejam entre a base republicana, também é um fator que podebeneficiar McCain na corrida presidencial. Ambos os partidos tentam abordar a questão do Gustav semparecer que tentam levar vantagem política. Nas pesquisas,Obama e McCain aparecem numa acirrada disputa. LevantamentoCNN/Opinion Research Corp, divulgado no domingo, mostra Obama àfrente por apenas 1 ponto (49-48), o que configura empatetécnico. A pesquisa reflete a cobertura da convenção democratae a indicação de Palin como vice de McCain. Obama disse que não vai visitar os locais por onde atempestade passar por enquanto, para não sobrecarregar osserviços de emergência da região. Mas ele prometeu ajudar paraque os 2 milhões de apoiadores que estão em sua lista de emailse envolvam nos esforços de ajuda à região.

JOHN WHITESIDES, REUTERS

01 de setembro de 2008 | 11h38

Tudo o que sabemos sobre:
EUALEICAOREPUBLICANOSGUSTAV

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.