Governistas da CPI dos Transportes de SP barram promotor

Vereadores governistas da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Transportes da Câmara de São Paulo conseguiram barrar na segunda-feira, 02, a convocação do promotor de Justiça Saad Mazloum, responsável por apurar falhas nos serviços de ônibus e lotações da capital paulista. O requerimento, apresentado pelo vereador Eduardo Tuma (PSDB), único oposicionista da CPI, foi rejeitado pelos outros seis vereadores da comissão, todos da base de sustentação do prefeito Fernando Haddad (PT)

DIEGO ZANCHETTA, Agência Estado

03 de julho de 2013 | 07h53

De acordo com integrantes da CPI como os vereadores Milton Leite (DEM), ligado aos perueiros, e Adilson Amadeu (PTB), próximo das empresários donos de viações de ônibus, é melhor ouvir Mazloum depois da análise de documentos pedidos à Prefeitura e ao governo de São Paulo. Ao todo, a comissão aprovou 43 requerimentos na primeira sessão, nesta terça-feira.

Um deles obriga o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, a enviar ao Legislativo documentos sobre o sistema, incluindo cópias dos contratos da administração municipal com as empresas de ônibus e cooperativas de lotações. A assessoria da Secretaria Municipal de Transportes afirmou estar à disposição para prestar quaisquer esclarecimentos à CPI. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
TRANSPORTESCPISP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.