Grã-Bretanha 'quer bloquear telefones de prostitutas', diz jornal

Reportagem do 'Sunday Times' diz que governo estuda leis rigorosas para atividade.

Da BBC Brasil, BBC

11 de fevereiro de 2008 | 14h30

Autoridades britânicas elaboraram uma proposta para bloquear os telefones das prostitutas que anunciam serviços em jornais e cabines telefônicas, segundo uma reportagem do jornal britânico Sunday Times.De acordo com a publicação, a polícia identificaria os números das prostitutas e os repassaria às operadoras telefônicas, que seriam obrigadas a efetuar o bloqueio.O diário comenta que o governo considera a possibilidade de tornar ilegal o pagamento por sexo no país. Hoje, a atividade é permitida.Uma porta-voz da English Collective of Prostitutes, organização de Londres que defende os direitos das prostitutas, disse à BBC Brasil que, se verdadeira, a proposta é uma ameaça de fato."Isto é apenas uma ameaça e uma proposta ilegal", disse Cari Mitchell. "Em 2006, o governo fez uma revisão das leis e afirmou que as prostitutas deveriam trabalhar em casas fechadas por questões de segurança. Eles não podem mudar isto agora", afirmou. As críticas à proposta vão além: opositores do projeto disseram ao Sunday Times que a proposta levaria as prostitutas à clandestinidade, incentivaria o trabalho nas ruas e tornaria o controle da prostituição ainda mais difícil para os policiais. ExemploA publicação dominical diz que a proposta é resultado de uma análise das leis que regem a atividade da prostituição na Grã-Bretanha. A avaliação vem sendo conduzida há seis meses pelos ministérios britânicos da Mulher e do Interior e Justiça.De acordo com o Sunday Times, a idéia nasceu depois que três ministras britânicas visitaram a Suécia, onde é ilegal pagar por sexo.As companhias de telefone suecas têm um acordo voluntário para cortar as linhas de bordéis e prostitutas, diz o jornal.Segundo a reportagem, a prostituição diminuiu de maneira significativa na Suécia depois da adoção de leis mais rigorosas, mas a atividade passou a ser realizada em quartos de hotéis e organizada pela internet.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.