Illumina toma medida para se proteger de oferta hostil da Roche

A companhia norte-americana de sequenciamento genético Illumina anunciou nesta quinta-feira uma estratégia de defesa para se proteger da oferta hostil de 5,7 bilhões de dólares da farmacêutica suíça Roche chamada "pílula envenenada", dizendo que irá realizar um acordo de direitos se qualquer comprador adquirir 15 por cento de suas ações.

REUTERS

26 de janeiro de 2012 | 15h45

A fabricante de remédios Roche está oferecendo dinheiro pela Illumina, mas a empresa da Califórnia está mostrando resistência .

A companhia californiana também tem um preceito na eleição do conselho de diretores que dificulta a substituição de todo o quadro em um ano.

A aquisição daria à unidade de diagnósticos da Roche a liderança no setor de sequenciamento genético, de rápido crescimento por ser essencial para o futuro da medicina, já que permite prever melhor como os pacientes responderão ao tratamento.

A Roche pode estar diante de uma longa batalha depois que a Illumina anunciou seu plano de direitos. Essa estratégia geralmente permite a um acionista -que não o ofertante- comprar ações com desconto, na maioria das vezes para forçar um maior preço ou boicotar a oferta aumentando o custo das ações extras.

"O conselho da Illumina tomou essa medida para garantir que nossos acionistas receberão tratamento justo e proteção diante de qualquer proposta ou oferta para adquirir a companhia, inclusive a da Roche", disse o presidente-executivo Jay Flatley, em comunicado.

A farmacêutica suíça planeja lançar a oferta hostil na próxima semana de 44,50 dólares por ação, ou 5,7 bilhões de dólares, de acordo com uma fonte familiarizada com o assunto. A Illumina terá dez dias para responder.

Tudo o que sabemos sobre:
ROCHEILLUMINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.