Inpe: 20% da Amazônia desmatada está em regeneração

Cerca de 20% das áreas desmatadas na Amazônia possuem florestas em regeneração, segundo um levantamento feito por pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). É a primeira vez que essas matas secundárias - também chamadas capoeiras - são mapeadas em detalhe, com base em imagens de satélite.

AE, Agencia Estado

28 Agosto 2009 | 09h43

Os resultados já estão prontos para os Estados de Mato Grosso, Pará e Amapá, que juntos têm uma média de 19,5% de áreas desmatadas em regeneração. Os demais Estados serão mapeados até o fim do ano, segundo o pesquisador Cláudio Almeida, chefe do recém-criado Centro Regional da Amazônia (CRA) do Inpe, que será oficialmente inaugurado hoje, em Belém, no Pará. "É improvável que essa média varie muito. Deve permanecer nessa ordem de grandeza", disse.

Os dados confirmam uma estimativa inicial que ele havia feito para toda a região amazônica no ano passado, com base em uma amostra de imagens de 2006. Desta vez, foram utilizadas imagens de 2007, quando o desmatamento acumulado na Amazônia era de 700 mil quilômetros quadrados.

Vistas do solo, podem até parecer uma floresta nativa, com árvores grandes. Porém, vários estudos relatam que as capoeiras dificilmente recuperam a biodiversidade das florestas primárias que foram derrubadas. São tipicamente formadas por menos espécies, tanto de flora quanto de fauna, e têm menos biomassa - o que significa, também, menos carbono. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.