Irã acusa França de tentar ser 'cópia da Casa Branca'

Imprensa oficial iraniana reage à afirmação de ministro francês sobre risco de guerra.

BBC Brasil, BBC

17 de setembro de 2007 | 13h00

A imprensa oficial do Irã reagiu nesta segunda-feira com duras críticas às declarações do ministro do Exterior da França, Bernard Koucher, de que o mundo deveria se preparar para uma possível guerra por causa do programa nuclear iraniano.A agência estatal de notícias IRNA disse que o presidente francês, Nicholas Sarkozy, assumiu um estilo americano e está "tentando ser uma cópia da Casa Branca"."Os ocupantes do Eliseu (o palácio presidencial francês) se tornaram tradutores das políticas da Casa Branca na Europa e adotaram um tom que é ainda mais duro, ainda mais inflamatório e mais ilógico do que o de Washington", afirma o texto da agência iraniana.No domingo, o ministro Bernard Kouchner disse às emissoras de rádio e televisão francesas que é preciso "se preparar para o pior". "E o pior é a guerra", afirmou.O programa nuclear do Irã será discutido nesta semana no encontro anual da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).O Irã nega as acusações americanas de que esteja tentando desenvolver armas nucleares e afirma que busca tecnologia nuclear para gerar energia para fins civis.Mas o país tem repetidamente rejeitado a exigência da ONU de abrir mão de atividades de enriquecimento de urânio, que os Estados Unidos e outros países ocidentais temem que estejam sendo usadas em um projeto de armas nucleares.Segundo Kouchner, as negociações com o Irã devem continuar "até o fim", mas uma arma nuclear nas mãos do Irã representaria "um perigo real para todo o mundo".No entanto, de acordo com o correspondente da BBC em Teerã, Jon Leyne, a população iraniana acredita que os Estados Unidos estão muito envolvidos no Iraque e no Afeganistão para lançar mais uma guerra na região. No domingo, Kouchner revelou que a França quer que a União Européia prepare sanções contra o Irã."Enquanto continuam as negociações, devemos preparar eventuais sanções fora do âmbito daquelas adotadas pelo Conselho de Segurança da ONU. E foram nossos amigos alemães que sugeriram isso", disse.Até agora, o Conselho de Segurança impôs sanções econômicas contra o Irã, mas não permitiu uma ação militar.Nesta segunda-feira, Kouchner está na Rússia, onde deve tentar conseguir o apoio de Moscou para a imposição de sanções mais duras pelo Conselho de Segurança.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.