Legisladores comemoram aprovação de projeto sobre células-tronco

Legisladores e grupos de ativistas expressaram nesta quarta-feira sua satisfação frente à aprovação no Senado dos Estados Unidos de um projeto de lei que permitirá ampliar as pesquisas com células-tronco embrionárias e que enfrenta o veto já declarado do presidente do país, George W. Bush.A iniciativa foi aprovada por 63 votos a favor e 37 contra. No entanto, a votação do Senado e a da Câmara de Representantes de maio último - na qual 238 legisladores votaram a favor e 194 contra -, não seriam suficientes para reverter o veto.Bush disse que se opõe à ampliação das pesquisas por razões morais, uma vez que na extração das células-tronco os embriões são destruídos. Os setores mais conservadores do país também se opõem à medida.Ao contrário das adultas, as células-tronco embrionárias têm a particularidade de poderem ser transformadas em qualquer célula no organismo humano, razão pela qual poderiam substituir células danificadas por doenças como diabetes, câncer, mal de Alzheimer ou de Parkinson, e a esclerose múltipla, entre outras doenças degenerativas.Lawrence Smith, presidente da Associação dos EUA contra o Diabetes, expressou agradecimento aos senadores pelo apoio ao projeto. No entanto, afirmou que a esperança de 20,8 milhões de americanos, entre crianças e adultos, "será destruída caso o presidente vete o projeto".O líder da minoria democrata no Senado, Harry Reid, pediu aos republicanos que convençam o presidente Bush a não cometer "o grave erro" de vetar o projeto.Reid afirmou que Bush deveria ouvir o conselho da ex-primeira-dama Nancy Reagan, cujo marido, o ex-presidente Ronald Reagan, morreu em junho de 2004 após uma longa e infrutífera luta contra o mal de Alzheimer.O senador democrata Ken Salazar disse que está convencido de que a pesquisa poderia ser a chave para encontrar a cura para a doença. Salazar também lembrou que a promulgação da lei colocará os Estados Unidos novamente na vanguarda nesse tipo de pesquisa.Para Ted Kennedy, também senador democrata, a aprovação do projeto constituiu a votação mais importante em assuntos de saúde já realizada na Câmara Alta. "Pedimos ao presidente Bush que não vete esta esperança", disse Kennedy, que acrescentou que "a pesquisa com células-tronco ocorrerá com ou sem este presidente". Mas nem todos ficaram satisfeitos com a votação no Senado. Tony Perkins, presidente do Conselho de Pesquisa Familiar, criticou duramente o resultado da votação de hoje. "Em vez de defender a dignidade humana, pela primeira vez na história dos EUA uma maioria de senadores aprovou um projeto que usará o dinheiro dos contribuintes em pesquisas que requerem a destruição da vida humana", afirmou em uma declaração. Perkins acrescentou que "o presidente tem absolutamente todo o direito de vetar esta lei".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.