João Pires|LBF
João Pires|LBF

Magic Paula: 'Chega de paraquedistas, porque o momento é de planejar o futuro'

Ex-jogadora da seleção analisa a situação do basquete brasileiro

Magic Paula *, O Estado de S.Paulo

17 Março 2017 | 07h00

Sendo direta e objetiva, é preciso resumir com tristeza: o basquete brasileiro chegou no fundo do poço. O resgate desta modalidade exige um trabalho que envolva pessoas competentes e interessadas apenas em que o nosso basquete seja respeitado novamente no cenário mundial. Chega de paraquedistas, porque o momento é de planejar o futuro de uma nova geração e ter paciência para colher frutos.

O primeiro passo precisa ser recuperar a credibilidade do basquete brasileiro, permitindo que as seleções de base voltem a participar de competições. Sem que isto aconteça, estaremos acabando com qualquer possibilidade de desenvolvimento do basquete durante muitos anos. Paralelamente, é preciso fomentar a formação e aumentar o número de praticantes e equipes de jovens.

Não dá para tapar o sol com a peneira: o basquete brasileiro está no pior momento de sua história. O trabalho que for iniciado agora só dará frutos a longo prazo e os resultados das seleções adultas não serão tão importantes agora quanto o trabalho de recuperação da base. Este deverá ser o critério de análise para os próximos anos.

* EX-JOGADORA DE BASQUETE, CAMPEÃ DO MUNDO PELA SELEÇÃO EM 1994 E MEDALHA DE PRATA NA OLIMPÍADA DE ATLANTA, EM 1996 

Mais conteúdo sobre:
basquete Paula [basquete]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.