Manifestantes chegam à Cinelândia sem incidentes graves

Uma hora e meia após o seu início na Candelária, na esquina das avenidas Presidente Vargas e Rio Branco, a manifestação do Dia do Mestre no Rio de Janeiro chegou à Cinelândia, onde fica a Câmara Municipal. A Polícia Militar fez um cordão em forma de "U" atrás da manifestação, com dezenas de policiais nos dois lados da Rio Branco e no cruzamento com a Avenida Almirante Barroso, a um quarteirão de distância da Cinelândia. Até a chegada, não foram registrados incidentes significativos na caminhada.

FELIPE WERNECK E MARCELO GOMES, Agência Estado

15 Outubro 2013 | 20h01

Além de impedir o acesso à Rua Evaristo da Veiga, onde fica o Quartel-General da PM e foram instaladas grades de ferro de três metros de altura, policiais militares formam cordões de isolamento e impedem a passagem nos dois sentidos da rua Senador Dantas, atrás da Câmara Municipal.

Ao contrário da manifestação na semana passada, vários grupos de dezenas de policiais se espalham pela região. Policiais da Tropa de Choque também se posicionam dentro da Câmara. Milhares de pessoas ocupam a Cinelândia. Até o momento, o clima na região é tranquilo.

Mais conteúdo sobre:
protestos professores Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.