Morre Albertina Sisulu, ícone do movimento anti-apartheid

Albertina Sisulu, figura-chave no movimento sul-africano anti-apartheid e na Liga das Mulheres ANC, morreu em Johanesburgo na quinta-feira à noite, disse a agência de notícias Sapa.

REUTERS

02 Junho 2011 | 19h58

Sisulu, 92 anos, foi uma figura importante na Liga das Mulheres ANC no ponto mais alto do apartheid e era viúva do antigo vice-presidente Walter Sisulu, um dos primeiros mentores do presidente Nelson Mandela.

Walter Sisulu passou 25 anos preso na ilha Robben com Mandela, enquanto Albertina foi submetida à prisão domiciliar e a vários meses na cadeia.

Ela foi vista em público pela última vez em janeiro quando visitou Mandela no hospital.

A família Sisulu é repleta de figuras proeminentes no cenário político da África do Sul -- sua filha Lindiwe Sisulu é ministra da Defesa e o seu filho Max Sisulu é membro do Parlamento.

(Reportagem de Peroshni Govender)

Mais conteúdo sobre:
AFRICADOSULSISULU*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.