Morre ex-reitor da UFRJ

Memória

CLARISSA THOMÉ / RIO, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2012 | 03h07

O economista Aloísio Teixeira, ex-reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), morreu na manhã de ontem, de um enfarte fulminante. Ele tinha 67 anos e estava em casa, em Ipanema, com a mulher, a economista Beatriz Azeredo. Uma equipe de socorro chegou a ser acionada, mas não houve tempo para salvá-lo.

Teixeira se formou em 1978 pela Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio de Janeiro e exerceu vários cargos na administração municipal e federal. Em 1998, foi o candidato a reitor da UFRJ mais votado, mas foi preterido pelo governo federal. Inconformados, estudantes ocuparam a reitoria por 44 dias.

O economista foi eleito novamente em 2003 e dirigiu a universidade por dois mandatos - deixou o cargo em 2011. Crítico dos vestibulares, sua gestão foi marcada pela "democratização" do ingresso: a UFRJ passou a reservar 30% das vagas para cotas sociais e aderiu ao Enem.

"Aloísio nos ajudou de muitas maneiras a repensar o Brasil e a buscar caminhos para transformar o País em uma sociedade menos injusta", manifestou-se, por nota, o reitor Carlos Levi. A presidente Dilma Rousseff também lamentou. "A educação perdeu um (...) brasileiro que abraçou a educação como grande instrumento de transformação da sociedade e fez do exercício de educar um compromisso de vida."

Aloísio tinha cinco filhos e quatro netos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.