Morre no Rio o jornalista José Paulo da Silva

O jornalista José Paulo da Silva, conhecido profissionalmente como J. Paulo, morreu aos 58 anos. Ele sofria de miocardiopatia dilatada, doença que provoca aumento do coração e reduz a função cardíaca. Chefe da assessoria de imprensa do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), deixou o órgão na noite de quinta-feira após mais um dia de trabalho, parecendo estar bem. Depois do jantar, sentiu-se mal. Morreu em casa, ao lado da mulher, Sandra. J. Paulo tinha quatro filhos.

CLARISSA THOMÉ, Agência Estado

02 de novembro de 2012 | 17h18

J. Paulo chefiou a redação da sucursal Rio do Estado, onde trabalhou entre 1988 e 2000, e também foi diretor executivo do jornal de A Crítica, de Manaus. Como repórter do Jornal do Brasil, nos anos 80, o jornalista, que era negro, escreveu em setembro de 1982 reportagem sobre sete trabalhadores também negros detidos numa batida policial, e que, em vez de algemados, foram conduzidos amarrados pelo pescoço, como é retratado em gravuras de escravos do século XIX. A imagem rendeu o Prêmio Esso de fotografia a Luiz Morier.

Em nota, o Núcleo de Imprensa do Governo do Estado lamentou a morte de J. Paulo, que desde 2007 integrava a equipe de assessores. O corpo do jornalista foi enterrado na tarde de hoje no Cemitério São João Batista, em Botafogo.

Tudo o que sabemos sobre:
JPaulomorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.