ONU pede ao Brasil garantias de segurança alimentar

O Brasil precisa garantir que a expansão do etanol não vai afetar a segurança alimentar da população. A recomendação é da Organização das Nações Unidas (ONU), que divulgou hoje 15 medidas que o governo deve tomar para corrigir as violações aos direitos humanos existentes no País, em especial no caso dos conflitos por terras. Na semana passada, o Brasil passou por seu primeiro exame sobre suas políticas de direitos humanos na ONU. Reino Unido, Alemanha e Estados Unidos cobraram respostas a questões como tortura e assassinatos cometidos pela polícia. Hoje, a ONU divulgou suas recomendações para que a situação do País possa ser modificada.Entre as medidas sugeridas, está a garantia de que a expansão da cana para o biocombustível não significará uma perda de terras e riscos para a segurança alimentar. A proposta original era da Argélia e foi incorporada no documento final lançado ontem. Para vários governos e especialistas da ONU, poderia haver uma competição entre usineiros e produtores de alimentos que levariam a uma alta nos preços dos alimentos, afetando os direitos das camadas mais pobres de ter acesso â alimentação.A ONU, baseada em uma proposta do Reino Unido, ainda quer uma avaliação do Brasil sobre a situação dos grupos indígenas e as disputas por terras no País. Gana e Nigéria também conseguiram que a ONU incluísse uma recomendação para que a reforma agrária no País fosse acelerada. A questão indígena também foi alvo de uma recomendação das Nações Unidas, que pede uma maior "consideração" do governo em relação às violações contra essas populações.

JAMIL CHADE, Agencia Estado

15 de abril de 2008 | 13h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.