Para combater o aquecimento global, Chile abole a gravata

Autoridades chilenas instruíram os funcionários públicos a não usar paletó e gravata, para que os escritórios possam poupar energia no ar condicionado. O governo espera que a iniciativa privada siga o exemplo, disse a vice-ministra da Economia, Ana Maria Correa. O Chile é um país de sociedade conservadora, onde os homens normalmente vestem-se de modo formal para trabalhar.De acordo com o governo, 215.000 aparelhos de ar condicionado foram importados desde 1997 e, no verão, podem responder por até 60% do consumo de energia em locais de trabalho. O plano contra a gravata e o paletó veio da Comissão de Eficiência Energética do governo."Recomendamos que os homens deixam de lado os paletós e gravatas", disse o diretor do grupo, Nicola Borregaard. "Esperamos que todos os setores sigam a recomendação, para que se torne hábito nacional".O maior grupo privado do Chile, a Sociedade de Desenvolvimento Industrial, uniu-se à iniciativa. Depois de comunicar o fato, o presidente do grupo, Bruno Phillippi, tirou a gravata.

Agencia Estado,

18 de janeiro de 2007 | 19h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.