Por precaução, PM reforça vigilância na Baixada Santista

O pelotão do Comando de Operações Especiais (COE) que chegou de São Paulo ao Guarujá nesta quarta-feira vai atuar em áreas de difícil acesso da cidade, como morros e regiões de palafitas. A informação foi divulgada hoje pelo comandante interino do 21º Batalhão da Polícia Militar do Guarujá, José Messina Filho. Segundo ele, dois pelotões da capital paulista vão reforçar o patrulhamento na cidade por tempo indeterminado.

REJANE LIMA, Agência Estado

28 de abril de 2010 | 19h33

"É importante destacar que esse reforço chega mais por causa da repercussão que pelos fatos. A situação no Guarujá está normal, não houve novos episódios", disse Messina. Os pelotões integram o grupo de 200 PMs que chegaram à região nesta quarta-feira: além do Guarujá, Santos, São Vicente, Praia Grande e Cubatão também receberam reforços.

Disk Denúncia

Congestionado na última semana por causa das diversas denúncias falsas, A situação do Disk Denúncia da PM (181), congestionado na semana passada por denúncias falsas, já está se normalizando. O número tem recebido pistas mais concretas sobre os episódios de violência da última semana. "Os boatos pararam. Agora estão ligando mais para falar que quem matou fulano foi beltrano e que tem arma escondida em tal lugar", disse Messina.

A Presidente do Santos e Região Convention & Visitors Bureau, Lucia Maria Teixeira Furlani, divulgou um comunicado criticando a decisão do Conselho Assessor de Segurança do Exterior dos Estados Unidos (Osac) de orientar os cidadãos norte-americanos a evitarem viajar para as cidades do nosso litoral paulista. Segundo a nota, a orientação "não se justifica" e "as autoridades regionais e brasileiras já tomaram e continuam tomando todas as providências para inibir atos de violência".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.