Premiê da Ucrânia recomenda prontidão do Exército para batalha, apesar da trégua

O primeiro-ministro da Ucrânia recomendou ao Ministério da Defesa nesta quarta-feira que garanta que as forças do governo estejam em alerta máximo para combate, apesar de um cessar-fogo de 12 dias com os separatistas no leste do país, apoiados pelos russos.

REUTERS

17 Setembro 2014 | 07h53

"A Rússia não vai nos deixar em paz, por isso estou pedindo ao ministro da Defesa que esteja em plena prontidão para a batalha", disse Arseny Yatseniuk em comentários que mantêm a atitude beligerante que ele vem adotando em relação às negociações com rebeldes separatistas no leste da Ucrânia.

Pôr em prática o plano de paz do Presidente Petro Poroshenko não significa que os "ministérios da Defesa e do Interior relaxem no trabalho", disse ele. "Total prontidão. Nós não podemos acreditar em ninguém, especialmente os russos."

(Reportagem de Pavel Polityuk)

Mais conteúdo sobre:
UCRANIAREBELDESEXERCITO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.