Reumatologistas pedem tratamento padrão

A Sociedade Brasileira de Reumatologia defendeu ontem que centros de tratamento com medicamentos biológicos, locais de infusão de remédios aplicados contra doenças como artrite e psoríase, sigam um mesmo padrão de conduta com pacientes para garantir assistência mais adequada. Clínicas que prestam esse serviço têm se espalhado pelo País nos últimos anos, após a entrada no Brasil das drogas biológicas para doenças reumatológicas.

Fabiane Leite ENVIADA ESPECIAL / PORTO ALEGRE, O Estado de S.Paulo

20 de setembro de 2010 | 00h00

Os medicamentos biológicos são feitos a partir de fluidos ou tecidos de origem animal. A entidade prepara uma recomendação para que os centros, por exemplo, cumpram necessariamente um "check list" da saúde do paciente antes da aplicação do remédio, para a verificação de possíveis infecções no momento da infusão, que podem ser agravadas com o uso da medicação. Também é necessária uma equipe preparada para eventos adversos raros, mas graves, como reações alérgicas, e a assinatura pelos pacientes de um termo de consentimento para os tratamentos, após estarem cientes dos benefícios e riscos.

"Há uma preocupação de que os centros sejam locais calmos. Mas também é preciso que eles estejam preparados para as mais diferentes tempestades, até um choque anafilático", afirmou ontem a presidente da sociedade, Ieda Laurindo, durante o 28.º Congresso Brasileiro de Reumatologia.

A sociedade não tem dados sobre o número exato de centros no País, que podem ser públicos ou privados, mas um trabalho de acompanhamento tem coletado dados em 29 unidades.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.