Romário joga e América é campeão após 27 anos

Atacante atua por 27 minutos na vitória por 2 a 0 sobre o Artsul e cumpre promessa feita ao pai

Bruno Lousada, RIO, O Estadao de S.Paulo

26 de novembro de 2009 | 00h00

Noite inesquecível no Estádio Giulite Coutinho, na Baixada Fluminense. Aos 43 anos, Romário vestiu a camisa do América, voltou a participar ontem de um jogo oficial, com direito à volta olímpica. A festa foi completa num dia especial para o clube da Rua Campos Sales, que venceu o Artsul por 2 a 0 (gols do zagueiro Ciro) e se sagrou campeão da Série B do Campeonato Carioca. O América não conquistava um título desde 1982.

Romário jogara pela última vez em 2007, ainda no Vasco. Atualmente, é gerente de Futebol do América e só entrou em campo para cumprir a promessa feita a Edevair, que morreu ano passado e tinha o sonho de ver o filho com a camisa rubra. "Desde que se foi, ele está no meu pensamento e conversamos sempre", disse o Baixinho.

Romário nunca gostou da reserva. Mas ontem ele nem esquentou. Vestiu capa de chuva e pôs uma toalha no colo para enfrentar o mau tempo. Estava tenso. Só relaxou - e vibrou - quando o América fez 1 a 0.

O coro de "olê, lê, olá, lá, Romário vem aí e o bicho vai pegar" se intensificava. O momento aguardado chegara: o atacante dá um pique, acena para os torcedores e se posiciona para entrar em campo, aos 20 do 2º tempo.

Ele pisa no gramado, recebe abraço da Tia Ruth, torcedora símbolo, e põe a braçadeira de capitão. Atua por 27 minutos, toca poucas vezes na bola, faz um lançamento perfeito e finaliza duas vezes. "Prometo que não vou chorar. Vou guardar esse momento." A torcida do América também.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.